Descubra como é perigoso jogar uma pelada semanal

Médicos explicam os riscos de jogar bola uma vez por semana

As lembranças mais comuns em relação ao futebol são as vitórias, de preferências aquelas com goleadas fantásticas. No entanto, não basta admirar o esporte para poder praticá-lo sem medidas.

Para refrescar a memória, vale citar alguns casos de mortes de jogadores de futebol em campo, em pleno exercício da profissão:

- O zagueiro Beto, do Moto Clube, morreu de enfarte durante o jogo contra o Tocantins, em setembro de 1985, em São Luís.
- Em 1982, o lateral-direito Carlos Alberto Barbosa, do Sport, morreu infartado na partida contra o XV de Jaú.  
- Em 2003, o volante Camaronês Marc Vivien Foé, 28, sofreu uma parada cardíaca durante a partida semifinal jogada contra a Colômbia. 
- O zagueiro Paulo Sérgio de Oliveira Silva (Serginho), 30, do São Caetano, morreu em 2004, de parada cardiorrespiratória durante um jogo contra o São Paulo.
_ Em 2004, o atacante da seleção húngara Miklos Fehér morreu aos 24 anos, de parada cardiorrespiratória no jogo contra o Vitória de Guimarães.

Fato é os amadores sofrem com mais frequência pela falta de conhecimento e por não se prepararem para os esportes praticados somente por lazer, o que implica em uma ou duas vezes por semana, principalmente para aqueles que não têm o hábito de ir à academia. Desconhecer os limites físicos não faz ninguém estar menos sujeitos aos riscos causados por eles. O jogo pode ser muito mais perigoso do que parece. Conversamos com um ortopedista e um cardiologista especialista em esporte para saber quais perigos você corre durante a pelada.

Os principais perigos ortopédicos são:

  • Lesões musculares
  • Rupturas de ligamento no jelho
  • Lesão de ligamento no tornozelo

Para se prevenir, a melhor tática é se preparar durante a semana para o exercício. O Dr. Mauro Dinato* recomenda musculação. Quem não tem mesmo tempo ou vontade de se exercitar, não deve abrir mão da prática esporádica, mas tem que pegar leve. Jogar só metade do tempo já é um bom começo.

Os principais problemas cardíacos são:

  • Arritmia
  • Dores no peito (Angina)
  • Infarto

Além do fortalecimento dos músculos e tendões, também é bom lembrar-se do coração e dos exercícios aeróbicos. Mas o principal cuidado que se deve ter é procurar um médico para uma avaliação antes de iniciar a atividade.

Dr. Nabil Ghorayeb** chama atenção para as doenças silenciosas e desconhecidas. Você não sente nenhum sintoma, mas quando está correndo no campo, fazendo um esforço incomum para o seu corpo, passa mal.

Outro perigo que o cardiologista destaca é que as pessoas usam o cansaço físico ou o suor como indicador de limite. Você não deve esperar seu corpo avisar que está cansado para parar, o certo é seguir o limite indicado por um médico. E o suor é o controle de temperatura do corpo.

 

Então, fica o aviso dos especialista sobre os riscos: “É raro, mas pode acontecer. Então por que deixar acontecer?”

*Dr. Mauro Dinato é Ortopedista e Médico do Esporte, Especialista em Ortopedia e Traumatologia, pelo Hospital das Clínicas da FMUSP e Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

**Dr. Nabil Ghorayeb é Presidente do Grupo de Estudos de Cardiologia do Esporte da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Fonte: http://www.areah.com.br/