Acusado de participar da morte de administrador culpa comparsa

A Polícia Civil de Timon agora procura pelos outros dois acusados: um adolescente e um jovem de 21 anos.

José de Jesus Pinto Neto, vulgo ‘Paizim’, de 19 anos, foi preso ontem no bairro Cidade Nova, em Timon, acusado de participar da morte do funcionário do grupo R. Damásio Marco Antônio de Oliveira, de 30 anos, desaparecido desde 4 de junho e que foi encontrado morto no dia 11 em uma estrada vicinal próximo da rodovia BR-226, em Timon. O veículo estava queimado e o corpo foi achado carbonizado.

Durante depoimento, “Paizim”, que faz uso de tornozeleira eletrônica, afirmou que praticou o crime na companhia de dois amigos: um adolescente e um jovem identificado como Ricardo César Barbosa, de 21 anos. “A perfuração foi o de menor quem planejou”, disse ao ser questionado sobre quais pertences que roubaram da vítima: “Só o dinheiro mesmo”.

Delegado Antônio Valente (Crédito: Rede Meio Norte)
Delegado Antônio Valente (Crédito: Rede Meio Norte)

De acordo com o delegado Antônio Valente, da Delegacia de Homicídios de Timon, Ricardo César Barbosa já teve a prisão preventiva decretada e já responde por porte ilegal de arma de fogo.

“Ele [Marco Antonio] foi levado para esse local pela via vicinal e de lá levado para dentro do mato. Um eles teria dado uma 'gravata' [espécie de imobilização] na vítima e no caso, segundo a versão do “Paizim”, quem fez isso foi o Ricardo. E o adolescente desferiu golpes no pescoço da vítima com um pedaço de ferro, que não se sabe de onde surgiu. Após a vítima ficar desfalecida, foi subtraído o anel e a quantia de R$ 50”, afirmou delegado.

Jesus Pinto Neto, mais conhecido como ‘Paizim’ (Crédito: Rede Meio Norte)
Jesus Pinto Neto, mais conhecido como ‘Paizim’ (Crédito: Rede Meio Norte)

“Paizim”, ainda durante depoimento, contou que após o roubo a morte só ocorreu porque, segundo ele, a vítima conhecia um dos envolvidos no crime. QuanTo ao veículo incendiado e que teve os pneus roubados, muita coisa ainda precisa ser explicada.

“O carro lá não fomos nós quem mexemos, não”, revelou "Paizim" ao ser perguntado sobre envolvimento de mais pessoas: “Só os dois que fugiram mesmo”.

O delegado explica quais os próximos passos da investigação.  “Nós estamos juntando o que temos, a prisão do Ricardo é primordial para esclarecer o que aconteceu, bem como a apreensão do adolescente”, finalizou.

Marco Antônio de Oliveira
Marco Antônio de Oliveira