Motoristas de ônibus temem manifestações contra aumento de passagem

Apesar do sentimento de medo, nenhum motorista ou cobrador foi agredido durante as manifestações deste ano.

O secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Transporte do Estado do Piauí (Sintetro), Ajuri Dias,afirmou,  durante entrevista ao vivo no Agora, na Rede Meio Norte, que os motoristas de ônibus temem manifestações contra aumento de passagem em Teresina. Na segunda-feira (09), estudantes fizeram uma manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus e no ato alguns jovens tocaram fogo em um ônibus como forma de protesto.

“Na realidade, nós somos a favor do movimento, mas desde que este seja pacifico. A gente já teve alguns relatos por conta de alguns operadores do nosso sistema, que já sentiram a questão do medo, mas nós acreditamos que vamos entrar em um acordo com os próprios manifestantes e demais órgãos, como a Prefeitura de Teresina, para esta situação não permanecer. Espero que possamos chegar em um acordo. A gente é a favor desta manifestação, mas quando esta ocorrer de forma pacifica”, afirmou.

Segundo Ajuri Dias, os motoristas e cobradores estão sendo orientados pelo próprio Sindicato a não apresentar nenhum tipo de reação. “Na realidade, é algo que nos deixa preocupados no sentido em que está acontecendo. Nós aqui do Sindicato pedimos para que os motoristas não tenham reação, para que tenhamos uma parceria de paz e um possível acordo", acrescentou. 

Apesar do sentimento de medo, nenhum motorista ou cobrador foi agredido durante as manifestações deste ano. “Temos apenas relatos de medo por partes dos motoristas e dos cobradores, eles ficam preocupados", explicou.

Fábio Abreu garante prisão para responsáveis por incendiar ônibus


De acordo com o secretário de segurança pública do Piauí, Fábio Abreu, todos os responsáveis serão punidos. “A polícia civil deve solicitar as imagens de fiscalização da Avenida Frei Serafim para identificar os vândalos e prendê-los, nós não podemos permitir dentro da democracia atos como esse", disse. 

"Nós vimos um ônibus novo, com ar condicionado que é necessidade da pessoa que utiliza transporte coletivo e de repente vem um criminoso, porque não podemos chamar de manifestante quem comete um ato desse, e acaba com isso. Vamos aplicar a lei com rigor necessário porque é inadmissível que aconteça um fato como esse. Nós vamos procurar identificar, prender e responsabilizar quem realizou esse ato. O aparato da Polícia Civil acionado, para que a gente faça a identificação e a prisão desses criminosos”, acrescentou.