Governo Federal envia avião para buscar sobreviventes na Colômbia

Força Nacional do SUS segue de Brasília para a Colômbia

Os ministérios da Saúde e da Defesa enviaram um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para trazer ao Brasil o jogador de futebol Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel, ambos sobreviventes do acidente com a equipe da Chapecoense em La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. Para o transporte dos pacientes, a aeronave, VC-99 Legacy, foi adaptada com duas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Segue no avião, um integrante da Força Nacional do SUS, o médico Luiz Edgar Leão Tolini, além de médicos da Chapecoense e da FAB, especializados em transporte aeromédico. Antes de se submeterem ao longo deslocamento, os pacientes passaram por vários exames para verificar suas condições clínicas.


O Avião saiu de Brasília, às 4h00 da manhã, da Base Aérea, e chegou as 8h00, horário da Colômbia. O jogador e o jornalista devem chegar a Chapecó, em Santa Catarina, às 21h00 (horário de Brasília).

O transporte aéreo dos pacientes está previsto no Acordo de Cooperação Técnica firmado entre os Ministérios da Saúde e da Defesa. Os voos de ida e volta serão custeados pelo Ministério da Saúde.

Image title

Logo após anúncio do acidente, no dia 29 de novembro, uma  equipe do Ministério da Saúde seguiu em voo da Força Aérea Brasileira (FAB) na comitiva que também levou representantes do Itamaraty e da Polícia Federal, entre outros profissionais. Ao chegar em Medellín, a equipe da Força Nacional do SUS trabalhou em parceria com a equipe do Itamaraty, na conferência de documentos, elaboração e controle da planilha para acompanhamento da evolução dos processos de emissão dos atestados de óbito.

Além disso, a equipe visitou os hospitais e clínicas onde os pacientes brasileiros estavam internados. Foi organizada a transferência dos três sobreviventes para o hospital Fundación San Vicent em Rio Negro com o objetivo principal de oferecer melhor atendimento aos pacientes, tendo em vista a melhor estrutura do parque tecnológico hospitalar. A ação viabilizou também o melhor acolhimento dos familiares, uma vez que os mesmos foram direcionados ao hotel situado nas proximidades.

CASO CHAPECOENSE - Na terça-feira, do dia 29 de novembro de 2016, a aeronave British Aerospace BAe 146 da linha aérea boliviana LAMIA com matrícula CP2933 RJ 80 sofreu um acidente ao se aproximar do aeroporto de Medellín (Colômbia), quando transportava 77 passageiros para a cidade de Medelín na Colômbia. O avião caiu na região de Cerro Gordo na Colômbia, próxima ao município de Antioquia. Entre os passageiros estava a delegação da equipe de futebol Chapecoense (SC) a caminho de jogo da Copa Sul-Americana. Foram setenta e um óbitos e seis sobreviventes de acordo com os boletins oficias da Aeronáutica Civil da Colômbia (Aerocivil).

FORÇA NACIONAL DO SUS - A Força foi criada, em novembro de 2011, para agir no atendimento às vítimas de desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico e desassistência, quando for superada a capacidade de resposta do estado ou município. Desde a sua criação, a Força participou de outras 28 missões de apoio em caso de desastres naturais, na gestão de grandes eventos, desassistência tragédias.

Para que a Força Nacional do SUS seja acionada, o município ou o estado deve decretar situação de emergência, calamidade ou desassistência, solicitando o apoio do Ministério da Saúde. Com isso, é deslocada uma equipe para a chamada missão exploratória, quando profissionais vão até o local para fazer um diagnóstico da rede de saúde e verificar a necessidade de apoio em relação a equipamentos, insumos e profissionais de saúde.