Como votaram os senadores do PI no aumento do salário dos ministros

Confira os destaques do Jogo do Poder do Agora Rede Meio Norte.

Na edição do quadro Jogo do Poder dessa quinta-feira (08/11), no programa Agora, composto pelos jornalistas Amadeu Campos, Arimatea Carvalho, Samantha Cavalca, Efrém Ribeiro e Ananias Ribeiro os profissionais explanaram sobre a ida de Rejane Dias para a Secretaria de Educação, a possível carta do MDB para o governador e a posição dos senadores do Piauí no projeto que aumenta o salário dos ministros do STF.

O jornalista Efrém Ribeiro conversou com a deputada Rejane Dias que afirmou que pretende cumprir o mandato em Brasília.

“Eu sou uma soldada do povo do Piauí mas devo prosseguir com o mandato, tem muitos projetos importantes que eu quero defender lá na Câmara Federal, a educação é uma grande prioridade, inclusive eu faço parte da Comissão de Educação da Câmara, a área da pessoa com deficiência e é claro buscar trazer mais recursos para o Piauí. Há mudanças com relação ao ensino superior, onde o Bolsonaro quer levar para o Ministério da Ciência e Tecnologia inclusive na Comissão de Educação nós deliberamos para ter uma conversa com a equipe de transição do Bolsonaro para saber, pegar mais informações sobre essas mudanças que estão sendo veiculadas, é importante quando chegarmos lá a gente sentar com a equipe dele”, disse.

Amadeu Campos: “Pelo que eu entendi a preferência da deputada é cumprir o mandato em Brasilia e não retornar para a Secretaria de Educação”.

Ananias Ribeiro: “Isso abre espaço para que Merlong Solano seja secretário de educação no lugar da Rejane, é uma pessoa bastante ligada ao governador Wellington Dias , é de confiança do governador, contempla o grupo do PT que tem essas pastas estratégicas do governo sobre a sua alçada e reforça mais um indicativo de que esse possa ser o caminho”.

Arimatea: Eu ouvi um parente muito próximo da dona Rejane Dias que falou que até que ela gostaria de ficar exercendo mandato em Brasília, mas ela é muito ligada a Daniely que é a filha dela com governador que tem necessidades especiais, então acha muito pouco provável que ela vá morar em Brasília e fique tanto tempo distante da filha para qual ela dá uma atenção toda especial e eu acredito na tese dele”.

Samantha Cavalca: “A Rejane não disse sobre datas, ela fala que a intenção é agora, eu acho que ela está se referindo até o final desse ano, não está falando do próximo ano não, a informação que eu tenho de pessoas ligadas ao gabinete da Rejane é que ela vai ficar aqui até o inicio de fevereiro, depois ela volta para assumir a secretaria”.

MDB desiste da carta para o governador

O jornalista Arimatea Carvalho entrevistou o deputado João Madson e falou sobre a famosa carta do MDB para o governador. Ele disse: Nós não vamos mais fazer a carta, os deputados decidiram fazer uma declaração que vai constar, segundo o deputado João Madson, que eles vão dizer que qualquer decisão que o governador Wellington Dias tomar, seja de enxugar, seja de aumentar , seja de manter, eles assinam embaixo e chancela , é uma declaração de apoio total e restrito ao governador”.

Samantha Cavalca: “O MDB já faz parte da base, então não precisa mandar nada dizendo que vão apoiar e colaborar qualquer decisão do governador, se ja está na base fica implícito”

Como votaram os senadores do Piauí no projeto que aumenta salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal em 16%

Ciro Nogueira (PP) - a favor

José Amauri (Podemos) que ocupa a vaga de Elmano Férrer que está de licença - a favor

Regina Sousa (PT) - contra

Houve um pedido do Bolsonaro para o aumento não ser aprovado porque ia impactar as contas do governo.

Amadeu Campos: Qual foi a mensagem que o Congresso enviou ao novo governo Bolsonaro?

Samantha Cavalca: O Congresso passou uma prensa no Bolsonaro.

Arimatea Carvalho: Nós do Legislativo e o judiciário unidos juntos podemos mais que você, fique atento.

Efrem Ribeiro: Quem manda aqui somos nós.

Ananias Ribeiro: Impôs a primeira derrota de Bolsonaro antes mesmo de ele assumir.

Átila Lira fica no PSB mas vai apoiar Bolsonaro

“Eu creio que o governo que começa em janeiro vem dentro de um padrão novo, nós vamos ficar, eu não posso aqui no Piauí ficar fora do governo federal se não eu não posso ajudar o estado, eu continuo PSB nós estamos entendidos que eu posso votar as matérias de interesse do Brasil”, disse.





logomarca do portal meionorte..com