Município assume responsabilidade de reforma do estádio

Município assume responsabilidade de reforma do estádio

O estádio Teixeira Santos já há vários meses sem utilização para o esporte local.

A situação em que se encontra atualmente o Estádio Municipal José Teixeira Santos no município de Pedro II é o retrato da falta de responsabilidade com a coisa pública e de compromisso com a população. Por conta disso há mais de três anos a principal praça de esportes da cidade se encontra abandonada e com seu campo de jogo destruído.

Durante visita dos vereadores: Samuel Silva (PDT), Robério Leite (PTB) e Fabiano Oliveira (PSDB), ao estádio municipal de futebol na manhã desta quinta-feira (11/01), onde foi anunciada a possível retomada das obras de reforma daquela praça de esportes ainda no primeiro semestre deste ano.

Segundo os parlamentares, ainda durante a visita houve uma conversa ao telefone com o prefeito Alvimar Martins (PP), quando ele teria afirmado que as obras de reforma poderão ter início já no próximo mês de maio. Ainda segundo os parlamentares, o prefeito teria conseguido reaver junto ao Ministério dos Esportes um valor anunciado por ele próprio para a reforma do estádio em 2012 (último ano do seu segundo mandato como prefeito de Pedro II), no valor de R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais). Na época a obra não foi iniciada.

OUTRAS REFORMAS ANUNCIADAS

No dia 11 de agosto do ano de 2014, por ocasião das festividades alusivas ao aniversário de 160 anos de emancipação política do município, durante partida amistosa entre a seleção de Pedro II e o Comercial de Campo Maior, foi anunciada pela então prefeita Neuma Café, inclusive com a assinatura da ordem de serviço, a reforma do estádio municipal. Na época o investimento anunciado foi de R$ 1.014.620,02 (um milhão, quatorze mil, seiscentos e vinte reais e dois centavos) para a reconstrução do estádio José Teixeira Santos.

A obra chegou a ser iniciada, porém foram retiradas as traves e o alambrado, o campo de jogo foi destruído e a obra parou.

No dia 15 de julho de 2016 foi anunciada a retomada da obra de reforma, desta vez o anúncio foi feito pelo presidente da Fundação de Esportes do Piauí (Fundespi), Vicente Sobrinho. Tratava-se de um pleito da então prefeita Neuma Café ao Governador Wellington Dias e a obra seria custeada, com recursos do Tesouro Estadual e executada sob a responsabilidade da Fundespi. Na ocasião foi divulgado que o valor investido na obra seria da ordem de R$ 654.301,55 (seiscentos cinquenta e quatro mil, trezentos e um reais e cinquenta e cinco centavos) e que o prazo de conclusão seria de 180 dias.

Pouca coisa foi feita, obra novamente parou, não foi mais reiniciada e desta forma inviabilizando a prática do futebol naquele espaço até os dias atuais.

logomarca do portal meionorte..com