Daniel Solón defende que a Justiça reprima pagamento de cabos eleitorais

30 de Julho 2012 as 09:52

O candidato do PSTU à Prefeitura de Teresina, Daniel Solón, defendeu que a Justiça Eleitoral reprima o pagamento de R$ 10 a R$ 15 para cabos eleitorais que fazem bandeiraço, distribuem material e acompanham candidatos à prefeitura da cidade.

Daniel Solón foi falar na manhã desta segunda-feira com o juiz da 63ª Zona Eleitoral, Antônio de Paiva Sales, para que retire a proibição de panfletagem nas praças, ruas e calçadas de órgãos públicos. “Não vamos entrar em hospitais para atrapalhar cirurgias e entregar nossos panfletos. A gente quer ter o direito de estar na calçada e fazer nosso contato com os eleitores. Nós queremos que as praças, que são espaços públicos, possam ser utilizadas pelos partidos para que dialoguem com as pessoas sobre os problemas da cidade”, declarou Daniel Solón, acrescentando não entender essas restrições impostas aos partidos durante a campanha eleitoral.

Segundo o candidato Daniel Solón, a militância dos pequenos partidos é voluntária. Ele disse ser contra o pagamento de cabos eleitorais como os outros partidos estão fazendo. Estariam pagando pessoas para fazer caminhada, bandeiraços e divulgação de material de campanha em Teresina.

“Nós achamos que isso não é educativo. Isso prejudica a disputa, minimamente equilibrada. A Justiça Eleitoral tem que tomar providências em relação a isso. A nossa voz está sendo limitada e precisamos que o juiz reveja sua decisão e de fato permita que as coisas aconteçam naturalmente, para que os candidatos trabalhem com liberdade”, finaliza o candidato do PSTU.