Exploração de minério terá R$ 3,4 bi no Piauí

22 de Maio 2013 as 09:28

O governador Wilson Martins assinou, às 11h30 de ontem, termo de intenções com a mineradora Brasil Exploração Mineral (Bemisa), do grupo MT4 Participações e Empreendimentos, que vai investir R$ 3,4 bilhões na extração de ferro nos municípios de Paulistana, Curral Novo e Simões, no sul do Piauí.

A solenidade de assinatura do termo de intenções foi realizado no Palácio de Karnak. A empresa vai oferecer 11,4 mil empregos diretos e 5 mil empregos na fase de implantação.

“Esse projeto vai trazer desenvolvimento, aumento de arrecadação de impostos e geração de empregos”, declarou o diretor-presidente da Bemisa, Augusto Lopes, lembrando que a empresa já tem cinco anos de pesquisas.

Lopes afirmou que o Piauí tem um potencial muito grande na área de mineração. Segundo ele, a mineradora escolheu o Piauí em 2008 e desde então vem realizando um programa consistente de pesquisa mineral e desenvolve o Projeto Planalto Piauí de exploração de ferro nas cidades de Paulistana, Simões e Curral Novo, no sul do Estado.

Augusto Lopes declarou que a Bemisa já executou 62 mil metros profundidade de sondagem, e tem a certificação de reserva de 1 bilhão de toneladas de minérios, sendo que 27% é de ferro.

“Esse minério, uma vez beneficiado, através dos investimentos da Bemisa de R$ 3,4 bilhões, atingirá um teor comercial em torno de 70%. O projeto já conta com a licença de instalação e a empresa já concluiu a etapa de engenharia básica”, falou.

Augusto Lopes informou que o projeto vai levar muitos investimentos para Curral Novo, Paulistana e Simões e vai oferecer 11,5 mil empregos diretos e indiretos. Na fase de implantação, a empresa vai oferecer 5 mil empregos. “A fase de instalação já foi iniciada, já contamos com a licença necessária.

Devemos iniciar a operacionalização em 2016; até lá, se fará um grande investimento, gerando emprego e renda”, afirmou Augusto Lopes, diretor-presidente da Bemisa, acrescentando não haver riscos de o grupo desistir do empreendimento. Ele disse que demanda pelo ferro existe, principalmente do mercado internacional e o principal consumidor é a China e Europa.

Governo vai instalar infraestrutura para exploração

De acordo com o protocolo de intenções assinado pelo governador Wilson Martins, com a Brasil Exploração Mineral (Bemisa), o Governo do Estado compromete-se a implementar melhorias infraestruturais na região.

"Vamos construir uma estrada de 49 quilômetros, que já está sendo licitada pelo Idepi e deve ficar pronta em seis meses; já temos a outorga para captação de água para o projeto na barragem de Poço Marruá; também incluímos o aeroporto de Paulistana, com pista de 1.800 quilômetros asfaltada e balizada no PROFAA", afirmou o governador Wilson Martins.

"Todos os compromissos presentes nesse documento já foram cumpridos ou estão em andamento", acrescentou.

Wilson Martins destacou ainda a inclusão dos trechos ferroviários entre a Transnordestina e Teresina e entre Teresina e Luís Correia dentro do Plano de Expansão Ferroviário, do Governo Federal, e que também beneficiará o empreendimento. Com o investimento, o Produto Interno Bruto (PIB) do Piauí deverá ser ampliado em 10% e devem ser gerados 4,8 mil empregos diretos e indiretos.

"A reserva de minério de ferro que a Bemisa irá ex- plorar é uma das maiores do país. Além de abundante, trata-se de material de alta qualidade, magnetítico, próprio para se chegar a derivados tipo premium", de-clarou Martins.

A Bemisa ocupa uma área de 10 mil hectares em Paulistana, Curral Novo e Simões. A mina tem uma capacidade, na primeira fase, de exploração do minério durante 20 anos, com uma produção de 16,7 bilhões de toneladas de base úmida. O preço do ferro no mercado internacional é de US$ 120.