2011: Brasil deve criar 3 milhões de vagas de emprego

Em janeiro, foram gerados 152.091 postos de trabalho com carteira assinada

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, anuncia nesta terça-feira (15), em Brasília, o total de empregos com carteira gerado em fevereiro último.

Em janeiro, foram criados 152.091 postos de trabalho formais, o segundo melhor resultado para o primeiro mês do ano, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Apesar dos aumentos dos juros, que podem reduzir os investimentos das empresas, e da previsão de menor crescimento para a economia brasileira em 2011, o ministro prevê a criação de aproximadamente 3 milhões de empregos formais neste ano, o que representa um aumento de 20% sobre 2010, quando foram abertas 2,5 milhões de vagas com carteira.

Na avaliação do ministro, o aumento do juro tem como objetivo fazer com que a economia cresça de forma sustentável e sem gerar inflação.

Em janeiro, apesar de o resultado ter sido o segundo melhor para o mês, ficou 16% inferior ao do mesmo período do ano passado. Mesmo assim, o ministro avaliou o dado como positivo.

- Este ano começou muito bem e os setores estratégicos responderam muito bem. Houve expansão generalizada de oito setores e apenas dois com queda em função de motivos sazonais, como o sucroalcooleiro e o comércio.

Ao divulgar os dados de janeiro, o ministro não chegou a fazer uma previsão para a criação de empregos em fevereiro, mas sinalizou que haveria recuperação na comparação com janeiro.

De acordo com o ministro, os setores de serviços, comércio e construção civil irão puxar o crescimento do emprego em 2011.

Nos últimos 12 meses, foram criados 2,47 milhões de vagas de trabalho no Brasil, com aumento de 7,34% na comparação com os 12 meses anteriores. Com dados não ajustados pelos cadastros mandados fora do prazo, o número fica em 2,11 milhões de vagas, aumento de 6,2%.

Fonte: R7, www.r7.com