43% dos homens não gostam de fazer sexo oral em mulheres

Por outro lado, 35% dos que fazem sexo oral na parceira

Pesquisa realizada pela empresa Sex Wipes revela que 43% dos homens não gostam de fazer sexo oral em mulheres. Eles alegam medo de contrair DST, questões religiosas e falta de confiança na parceira.

Para chegar ao número foram entrevistados 1252 homens, de 18 a 30 anos, paulistanos, heterossexuais e sexualmente ativos. Aqueles que disseram se sentir incomodados com o ato também apontaram o cheiro e gosto ruim, a quantidade de pelos e má aparência do órgão sexual feminino.

Sexo oral (Crédito: Reprodução)
Sexo oral (Crédito: Reprodução)


Apesar de muitos homens relatarem que fazer sexo oral na parceira é um dos pontos altos das preliminares para eles, a recusa à prática é uma queixa comum das mulheres. Além disso, quatro em cada 10 homens de 78% dos entrevistados que afirmaram recebem sexo oral frequentemente e não se preocupam em retribuir o agrado.

Por outro lado, 35% dos que fazem sexo oral na parceira disseram que querem dar prazer.

Mais como os homens podem se proteger ao fazer sexo oral na parceira? Os ginecologistas são taxativos ao dizer que a proteção da vagina para a prática do sexo oral é totalmente deficiente. "No caso das mulheres o problema é maior, porque não existe nenhum amparo específico, como há a camisinha masculina, para a prática do sexo oral", diz a ginecologista Rosa Maria Neme.

Há produtos à venda no mercado, conhecidos como camisinha de língua, mas o aparato não tem função de proteger, e sim a de funcionar como um estímulo para a hora do sexo oral, já que possui textura, sabor e até massageador, "O produto protege apenas a região da língua, deixando o resto da boca vulnerável", explica a ginecologista.

Mesmo com tantas considerações, os especialistas afirmam que a prática do sexo oral não precisa ser abolida da rotina. "Toda relação sexual apresenta riscos, o que podemos frisar é que a proteção precisa existir. O sexo com penetração, por exemplo, apresenta diversos riscos de contaminação, mas se realizado com consciência tem os perigos eliminados", afirma Linderman.

Fonte: Com informações do IG