Confira o que é ruim para os homens no sexo e as mulheres não sabem

Conheça algumas coisas que eles secretamente odeiam.

Por normalmente falarem mais abertamente sobre sexo e raramente se queixarem sobre dificuldades em ter prazer entre quatro paredes os homens podem muitas vezes pode transmitir a ideia de que amam e topam qualquer tipo de realização na cama. Mas claro que não é bem assim. Conheça algumas coisas que eles secretamente odeiam na transa e as parceiras nem imaginam:

Coisas que deixam homens insatisfeitos na cama (Crédito: Reprodução)
Coisas que deixam homens insatisfeitos na cama (Crédito: Reprodução)


Coisas que homens não gostam no sexo

1. A ereção do pênis não é acionada uma única vez para permanecer até o fim da transa, por isso, a rigidez do órgão varia ao longo do ato. Fazer o tempo todo com que o pênis fique rígido pode dar muito mais trabalho do que uma mulher imagina. Muitas nem sabem que isso acontece.

2. Segurar ou acelerar a ejaculação, além de ser uma tarefa difícil, tira muito da espontaneidade e prazer do sexo. A tarefa se torna mecânica e pode dificultar ainda mais o acontecimento natural das coisas. Ainda assim, muitos acreditam que é necessário sincronizar o clímax com o da parceira, o que já sabemos que é algo raro de ocorrer de forma não forçada (e que não faz a menor diferença).

3. Ao contrário do que se acredita, nem sempre o sexo é prazeroso. Em muitos casos, eles podem manter uma ereção e até ejacular, mas isso não necessariamente significa que tenha, de fato, atingido o orgasmo e considerado a transa algo satisfatório. Muitas mulheres já sentiram a experiência de ter uma relação insatisfatória na pele, mas imaginam que, para os parceiros, é fácil sentir prazer, quando nem sempre é assim.

4. Por fim, a necessidade de sempre se mostrar obrigatoriamente pronto para o sexo, procurar a parceira e chegar aos “finalmentes” pode ser grande fonte de pressão para o homem que, apesar de quase nunca admitir, pode muitas vezes estar sem qualquer vontade de engatar momentos íntimos.

Fonte: Bolsa de Mulher