Descubra 10 mitos sobre prazer e tire suas dúvidas sobre orgasmo

Descubra 10 mitos sobre prazer e tire suas dúvidas sobre orgasmo

Especialistas passam a limpo as mentiras sobre orgasmo que só atrapalham a vida sexual

Toda mulher pode ter orgasmo múltiplo? Orgasmo e ejaculaçao são a mesma coisa? Para tirar a limpo algumas mentiras sobre orgasmo nas quais acabamos acreditando e que só atrapalham ou impedem as pessoas de chegarem ao clímax do prazer sexual, o Delas consultou especialistas em sexualidade que explicam o que é realmente fundamental para experimentar esse momento.

1 - Orgasmo múltiplo é para todas

“É provavelmente o maior dos mitos e o que mais atrapalha o prazer feminino. Em mais de 20 anos de pesquisa, encontrei poucas mulheres que relataram ter tido orgasmos múltiplos e mesmo quem já teve em geral descreve esses orgasmos como pontuais e esporádicos”, observa a antropóloga Mirian Goldenberg, que acaba de lançar, ao lado do cartunista Adão Iturrusgarai, o livro “Tudo o Que Você Não Queria Saber Sobre o Sexo” (Record).

Segundo Mirian, a ideia de que orgasmo múltiplo pode ser obtido por todas as mulheres, na hora que elas quiserem, virou um fardo. “Fica a impressão de que quem não consegue tem algum tipo de deficiência. Isso é uma bobagem”, opina a antropóloga. “O importante é ter prazer, se é múltiplo ou não, tanto faz. Um não é melhor que outro”, acrescenta Carla Cecarello, psicóloga e sexóloga, coordenadora do Ambulatório de Sexualidade AmbSex, em São Paulo.

2 - É o homem é que dá prazer a mulher

Os homens também carregam um fardo pesado no quesito 'mitos e lendas sobre orgasmo'. “Achar que o orgasmo da mulher é responsabilidade exclusiva do homem é uma mentira ainda mais perigosa porque muitos homens acreditam”, aponta Carla. “Ele pode ter o melhor desempenho do mundo, mas não vai adiantar nada se a parceira não estiver concentrada e relaxada. O casal precisa ter cumplicidade na cama, mas cada um é responsável pelo seu próprio prazer”, prossegue a sexóloga.

3 - Quem goza bem, geme alto

O cinema tradicional e o erótico incutiram na cabeça de muita gente a ideia de que quanto maior é o prazer, mais alto é o gemido. Mas isso não é uma verdade absoluta. “Homens e mulheres expressam seus orgasmos de forma bastante peculiar. Uma pessoa pode ter um orgasmo muito intenso e praticamente não se expressar, a ponto do outro ficar sem saber se houve orgasmo ou não”, explica a sexóloga Walkíria Fernandes. “Quem é silencioso no sexo, pode estar estar se satisfazendo muito mais do que alguém muito escandaloso”, pondera Carla.

4 - Preliminar longa, prazer maior

Ainda falando em 'métricas do prazer', o tempo gasto com as preliminares também é visto de forma equivocada, especialmente por eles. “Eu sempre digo que as preliminares começam muito antes da cama. Para a mulher, faz muito mais diferença a maneira como o homem a tratou durante o dia do que a duração das carícias antes da penetração”, pontua Mirian.

Por isso, não adianta passar o dia sendo grosseiro com a namorada ou com a esposa e tentar compensar depois com carícias caprichadas. Aliás, Carla ressalta que é um mito achar que elas sempre vão gostar de preliminares longas, com sessões intermináveis de sexo oral. “Os homens se excitam mais facilmente do que as mulheres, que realmente precisam de mais estimulo, mas isso não precisa levar horas”, esclarece a psicóloga e sexóloga.

5 - Orgasmo e ejaculação são a mesma coisa

Na maioria das vezes, as duas coisas acontecem de forma simultânea para o homem, mas isso não significa que eles são uma coisa só, como muita gente pensa. “Orgasmo é a sensação intensa de prazer, ejaculação é a expulsão do sêmen. Nos casos de extrema ansiedade, por exemplo, o homem pode ejacular sem ter uma sensação plena de prazer”, explica Walkíria, que define orgasmo como sendo mais mental e ejaculação como uma experiência mais física.

6 - Prazer intenso, só com penetração

Evidentemente, a penetração é uma parte importante do sexo, mas a intensidade do orgasmo não está necessariamente relacionada a ela. “Ele pode ser alcançado fortemente também na troca de carícias, na masturbação, no sexo oral e até no roçar dos corpos”, diz Walkíria.

“Muitas mulheres chegam a sentir-se culpadas porque têm um prazer mais intenso quando são estimuladas com toques ou massagens no clitóris do que quando são penetradas e isso não é nenhum problema”, adverte Carla.

7 - Tamanho é documento

Na cabeça de muitos homens, ainda persiste a ideia de que o tamanho do seu órgão sexual tem influência na intensidade do orgasmo feminino. De acordo com Mirian, esse é um grande equivoco. “A maioria das mulheres reclama quando o pênis do parceiro é muito grande, dizem que machuca, que é desconfortável”, conta a antropóloga.

Não custa lembrar aos homens, que independente do tamanho do pênis e apesar de elástico, o canal vaginal tem profundidade limitada.

8 - Orgasmo bom é orgasmo juntos

“Algumas pessoas acham que homem e mulher têm que chegar juntos ao orgasmo, que é mais prazeroso assim e que nessa hora até o céu vai se abrir”, brinca Carla, citando mais um mito relacionado ao clímax sexual. “Mas isso não é necessário. Cada um tem o seu próprio tempo. O importante é ter cumplicidade entre o casal e não sincronismo”, avalia a sexóloga.

9 - Todos os orgasmos devem ser sempre intensos

Mesmo que o casal tenha uma relação de cumplicidade, livre de mitos aprisionadores, o orgasmo não será obrigatoriamente intenso todas as vezes para ambos os parceiros. O climax pode até não acontecer para um dos dois. “O orgasmo nem sempre acontece em todas as relações sexuais, nem para homens nem para mulheres. Mas isso não deve ser encarado com apreensão para que não vire um problema”, aconselha Walkíria. A falta de orgasmo só torna-se um problema quando ocorre com frequência.

10 - Existe uma receita de bolo para alcançar o máximo de prazer

As três especialistas ouvidas pela reportagem concordam plenamente num ponto: orgasmo é algo que acontece de forma muito particular para cada pessoa, por isso, é sempre melhor desconfiar das regras. Aliás, segundo elas, o prazer não vem com receita de bolo. Simplesmente, faça o que for melhor e mais espontâneo para você, receba o que for melhor e mais espontâneo do seu parceiro e aprendam a dançar essa dança juntos, sem nenhum preconceito ou ideia prédefinida, finaliza Mirian.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: IG