Mães revelam como foi o sexo depois do parto

Sexo após o parto: como é?

A gestação e o parto mudam a vida de qualquer mulher e com isso a maneira como ela enxerga e sente o próprio corpo, o que faz com que a relação sexual também fique diferente. As novas sensações podem ser uma surpresa e ninguém melhor para contar essa experiências do que as mulheres que passaram por isso recentemente.

"A primeira vez transei com meu marido depois do nascimento do meu primeiro filho foi muito estranho. Nós dois estávamos muito ansiosos pois o resguardo havia terminado um dia antes, mas assim que começamos eu ficava pensando 'Um bebê acabou de sair da minha vagina e agora meu marido coloca seu pênis lá?'. Eu imediatamente pedi que ele parasse. Ele pensou que eu estava sentido dor, mas não. Isso tudo me levou de volta à sala de parto e me fez pensar em como eu via meu corpo de um jeito diferente que eu não era mas um objeto de prazer e sim uma mãe. Meus seios não eram para prazer sexual, eles eram para alimentar meu filho. Minha pele não era para ser alisada ou beijada e sim para esquentar o bebê. Como meu corpo deveria ser usado para sexo também?

Eu conversei com meu marido sobre isso e ele foi muito compreensivo. Colocamos nossas roupas e ele me abraçou. Levou umas duas ou três tentativas para que nós dois voltássemos a curtir a relação sexual como um casal novamente." Diane, 28

"Nós esperamos o ok do médico para fazer sexo depois da cesárea e eu estava ansiosa, pois meu e marido sempre antes de dormir transávamos. Com isso eu iria me sentir “normal” de novo. Tudo estava tão centrado no bebê. Mas, assim como o parto não foi do jeito que eu esperava e a amamentação estava mais difícil do que eu imaginava, o sexo foi muito diferente. Doeu e havia mais secura que o esperado. Os ângulos do meu corpo pareciam...quebrados, sei lá eu me acha estanha.

Olhando para trás, eu acho que eram as mudanças no meu peso e o inchaço vaginal, mas na ocasião eu sinceramente pensei que minha cesariana mudou meu corpo e que seria sempre doloroso e diferente. Pensei: "como vou voltar a transar com meu marido? Eu adorava isso agora só penso no meu bebê" Mas meu marido foi muito paciente, ele começou a desenvolver técnicas para tudo voltar ao normal e resgatar a intimidade, como tomar um banho juntos, depois que o bebê fosse dormir ela fazia massagens deliciosas em mim com isso tudo voltou a funcionar novamente." Alexandria, 36

Foi tão maravilhoso que eu engravidei de novo. Depois do nascimento do meu primeiro bebê, nós esperamos 6 semanas e assim que o médico deu o aval nós voltamos a fazer sexo. Foi mútuo: depois de colocar o bebê para dormir, meu marido disse que eu estava muito bonita e isso me despertou a vontade. Eu estava esperando que fosse como perder a virgindade de novo, doloroso e que eu me sentiria pressionada, por que isso foi tudo que eu li. Mas não foi. Foi como andar de bicicleta. Sentir aquela proximidade do meu marido e me conectar com ele novamente daquela maneira foi incrível. E sim, eu gozei." Sarah, 27

"Meu primeiro bebê foi tirado com fórceps e 10 semanas depois meu médico nos disse para tomarmos um vinho e relaxarmos, que o sexo seria maravilhoso. Mas tudo doía. Sentar era terrível. Levantar era terrível. Naquela consulta, meu ginecologista me examinou com um espéculo e eu achei que fosse morrer.

Quando nós transamos, eu lembro de sentir como se um sanduíche quente estivesse sendo introduzido na minha vagina. Foi horrível. Doeu. Nada naquela área queria ser tocado. Usamos muito lubrificante, meu marido foi paciente, mas levou quase um ano para a dor passar." Anne, 41

" Quando nosso filho tinha duas semanas de vida, ele foi diagnosticado com fibrose cística. Nós ficamos apavorados, então no início nós estávamos apenas cuidando dele e assimilando essa mudança. Duas semanas depois disso, nós conversamos com um médico para entender quais eram as chances de ter outro bebê com fibrose cística. Decidimos que, se tivéssemos outros filhos, seria por fertilização in vitro para que pudéssemos fazer a análise genética. Meu maior medo era engravidar novamente. Mas nós tivemos que conversar muito sobre isso e dizer: 'Isso é seguro. Vai ser bom e é aceitável que nós tenhamos nosso tempo juntos de volta'. O sexo naquela primeira fez foi muito emocional, ele me abraçava e eu via que aquele ali era o homem que eu queria passar o resto da minha vida. Eu senti muito alívio em ter meu relacionamento reconstruído e saber que meu marido não estava assustado comigo, mesmo depois de saber que um bebê veio direto dali e de tudo que nós passamos." S., 35

"Eu tenho 2 filhos consequentemente passei por isso duas vezes. O mais novo apenas 12 semanas. Com meu primeiro, tudo foi mais romântico. Nós estávamos carinhosos e cuidadosos um com o outro então eu pensei: 'nós faremos sexo e será ótimo'. e não foi. Sou médica de família e entendo as mudanças do corpo após o parto. Mesmo assim eu estava surpresa. Tudo foi mais demorado. Foi mais demorado para me sentir excitada quando nos beijamos, foi difícil a lubrificação, foi difícil chegar ao orgasmo. Sentia que meus seios não faziam parte do sexo, pois eu estava amamentando, então essa importante parte da nossa relação sexual foi deixada de lado. Minha vagina estava mais seca, então nós usamos lubrificante e isso não é muito romântico.

Expectativas são difíceis sempre, mas na segunda vez eu já entendia que nossos velhos hábitos não funcionariam e que a relação sexual poderia não ser tão satisfatória assim. Isso não significa que eu nunca vou gozar novamente, mas por enquanto está difcil." M., 38

" Foi a primeira vez que eu consegui dormir depois do parto. Não conte ao meu marido! Eu não dormia direito havia 3 meses. Eu estava ansiosa para o sexo e meu marido preparou tudo, fez o jantar, preparou o quarto. Mas eu estava tão cansada que dormi no meio, nem sei quanto tempo durou." Lisa, 42

" Nós transamos pela primeira vez cerca de um mês após o parto e enquanto isso eu olhava para o outro lado, onde meu bebê estava dormindo. Eu achei que não haveria problema em deixar o bebê no mesmo quarto, de maneira que pudéssemos ficar de olho nele. Mas eu não consegui aproveitar o sexo. Meus olhos estavam constantemente nela, pensando: 'por favor, não acorde, por favor, não sinta frio, por favor, não comece a se mexer'. Meu corpo estava fazendo uma coisa, mas minha mente estava toda nela. Depois de algumas tentativas, nós decidimos fazer isso em outro quarto. Por que é estranho transar olhando para seu filho." Surabhi, 34

"As primeiras transas após o parto foram aterrorizantes para mim, como se eu estivesse passando novamente pelo trauma emocional do parto. Eu senti o mesmo tipo de medo de desconhecido que tive na hora do parto. Foi destrutivo convidar algo para dentro do meu corpo no mesmo local de onde minha linda garotinha saiu oito semanas antes. Fisicamente, senti dor ao redor do meu ponto G por cerca de um ano. Eu sabia que seria dolorido nas primeiras vezes, mas eu não esperava sentir desconforto por tanto tempo." Erica, 31

" Nós transamos depois de duas semanas e meia do nascimento do meu filho e duas semanas após o nascimento da minha filha. Eu quis! Foi pouco tempo depois do parto, mas eu não senti qualquer desconforto. Eu não estava mais sangrando (e não estava usando absorventes) e não estava com dor. Me senti muito mais próxima de mim. Não doeu, houve apenas uma pequena ardência, mas logo passou.

Meu filho estava na UTI neonatal e eu estava tão preocupada e obcecada em ficar com ele o tempo todo que entendi que era ok tirar 20 minutos para fazer sexo, relaxar e sentir que ainda tinha uma vida normal, foi muito terapêutico. Nós fomos muito devagar, sem esperar nada espetacular e imediatamente isso nos ajudou a voltar ao normal." Jacqui, 27

Fonte: Com informações do Bolsa de Mulher