Saiba como identificar se você possui compulsão sexual e como tratar

Saiba como identificar se você possui compulsão sexual e como tratar

Especialista fala sobre o lado médico e clínico da ninfomania

O filme "Ninfomaníaca" estreou recentemente nos cinemas e, desde então, se tornou um dos temas mais comentados. Dirigido pelo polêmico cineasta Lars Von Trier e estrelado por Charlotte Gainsbourg, o longa conta a história de uma ninfomaníaca autodiagnosticada que, depois de uma surra, conta seu passado para um homem mais velho. Com muitas cenas de erotismo e sexo explícito, o diretor tenta derrubar os tabus relacionados a esse distúrbio psiquiátrico.

O que é a ninfomania?

Apesar de todos esses fatores sexuais atraírem espectadores para as salas de cinema, empolgados por acreditarem que se trata de uma obra pornográfica, o filme trata, na verdade, de um problema realmente sério que é a compulsão sexual. “A questão toda está no imaginário popular das pessoas sobre o que é ninfomania. A maioria acredita que a protagonista seja uma mulher tarada e louca por sexo, e, que estar com uma mulher assim é um sonho para os homens que desejam realizar fantasias e fetiches. Outros olham para essa mulher como pecadora devassa. No entanto, o que muitas pessoas desconhecem é o lado médico e clínico da ninfomania e os problemas que essa compulsão traz para a vida das mulheres que sofrem dele”, explica o médico e treinador comportamental Jô Furlan.

Ele diz que, ao contrário do que muita gente  acredita, a mulher diagnosticada como ninfomaníaca não busca o prazer nas relações sexuais. “A ninfomania é um transtorno psiquiátrico sem razão biológica, considerada uma compulsão, que não tem relação com a produção de hormônios libidinosos que geram o prazer – assim como a compulsão por comida, bebida e compras. Ela acontece quando o paciente não consegue controlar os impulsos por sexo".

Esse distúrbio pode causar muitos problemas na vida das mulheres, como, por exemplo, a dificuldade em manter uma relação estável com um único parceiro e até mesmo a permanência em um emprego, já que não há controle da compulsão. "Muitas acabam fazendo sexo em qualquer local e com qualquer pessoa. Vale ressaltar que, mesmo com a prática constante, muitas ninfomaníacas não são boas de cama, afinal, não transam por prazer, e sim por vício”, afirma.

Como tratar a compulsão sexual

A recomendação do especialista é que as mulheres com sintomas de ninfomania procurem um médico assim que perceberem que não possuem controle sobre os impulsos de fazer sexo e também a partir do momento que isso começa a interferir na vida pessoal e profissional. "Em primeira estância a mulher deve procurar um terapeuta que vai ajudar a identificar se os sintomas são mesmo de ninfomania, pois muitas mulheres que possuem a libido mais aflorada e sofrem repressão religiosa ou familiar às vezes se consideram ninfomaníacas e não são", diz.

Sendo diagnosticada como ninfomaníaca, a mulher deve ser encaminhada a um psiquiatra, que irá tratar o caso com os remédios adequados. "O tratamento para ninfomania envolve remédios e terapia. Já houve casos de mulheres que desenvolveram a ninfomania devido a tumores cerebrais, no entanto são casos isolados. A medicina ainda não encontrou razões biológicas que provoquem essa compulsão, como também não há respostas para a compulsão alimentar. Sem esquecer que esse transtorno atinge apenas mulheres. Quando atinge os homens, essa compulsão é denominada satiríase. Ambas têm como características a culpa e o mal estar", finaliza.

Fonte: Bolsa de Mulher