Saiba o que exatamente acontece com o corpo na hora de um orgasmo

Especialistas falam sobre o assunto.

De acordo com estudos, apenas 25% das mulheres sempre chegam ao clímax durante o sexo com um parceiro. O resto de nós o alcança dependendo da noite, ou nunca experimentou um orgasmo feminino durante uma relação sexual. Em comparação com os homens, mais de 90% dos homens obtêm seu ápice de prazer 100% do tempo. A pergunta é: por quê? Qual a diferença do que acontece com o corpo?

"O clitóris tem a função indispensável de promoção da excitação sexual, o que induz a mulher a ter relações sexuais e engravidar", diz Elisabeth Lloyd, professora de biologia na Universidade de Indiana. "Mas a real incidência do reflexo do orgasmo nunca esteve atrelado à reprodução bem sucedida." Ou seja, porque as mulheres podem e engravidam sem clímax, os cientistas não conseguem descobrir por que, de fato, temos ou precisamos do orgasmo.

Orgasmo: o que acontece no corpo?

A excitação que começa a aquecer e que você sente durante as preliminares é o resultado do sangue indo direto pro seu clitóris e vagina. Nessa altura, as paredes da vagina começam a secretar grânulos de lubrificação que, eventualmente, fluem mais.

Como você fica mais ligada, o sangue continua a inundar a área pélvica, as velocidades da respiração e da frequência cardíaca aumentam, os mamilos ficam rijos, e a parte inferior o canal vaginal estreita, a fim de prender o pênis, enquanto a parte superior se expande para lhe proporcionar espaço.

Se tudo correr bem (ou seja, o telefone não tocar e seu parceiro souber o que está fazendo), uma incrível quantidade de nervos e tensão muscular deve se acumular, então, nos órgãos genitais, pélvis, nádegas e coxas, até que seu corpo involuntariamente libere tudo numa série de ondas de intensidade de prazer, também conhecida como orgasmo.

Image title


O big bang é o momento em que seu útero, vagina e ânus contraem simultaneamente em intervalos de 0,8 segundos. Um pequeno orgasmo pode consistir de três a cinco contrações, um grande, de 10 a 15. Muitas mulheres relatam sentir diferentes tipos de orgasmos - clitoriano, vaginal, e muitas combinações dos dois.

De acordo com Beverly Whipple, coautora do livro G-Spot, o motivo pode ser simplesmente porque diferentes partes da vagina foram estimuladas mais do que outras, e por isso têm mais tensão para liberar. Além disso, os músculos em outras partes do corpo podem contrair involuntariamente.

Após o pico do prazer, o corpo geralmente desliza em um estado de relaxamento satisfeito - mas nem sempre. “Assim como os homens, as mulheres podem experimentar tristeza e dor pélvica se não atingirem o orgasmo", diz Ian Kerner, terapeuta sexual e autor do livro She Comes First. Na verdade, Dr. Kerner diz que muitas mulheres se queixam de que um único orgasmo não é suficiente para aliviar o acúmulo de tensão sexual.

Fonte: Bolsa de Mulher