Saúde íntima: Ginecologista lista 7 equívocos que as mulheres cometem no dia a dia

Segundo a ginecologista e obstetra pós-graduada em sexologia pela Universidade de São Paulo (USP).

O verão é a estação ideal para colocar um biquíni e correr para a praia. Ainda assim, é preciso estar atenta com os perigos das doenças na região íntima: o clima é mais propício para proliferação de fungos e bactérias na vagina, já que estará mais abafado. Segundo a ginecologista e obstetra pós-graduada em sexologia pela Universidade de São Paulo (USP), vários fatores podem contribuir para aumentar o risco: depilação inadequada, lingerie de tecidos como o nylon ou lenços umedecidos.

Como perceber

Pode parecer simples, mas uma coceirinha ou odor diferentes podem ser problemas que devem ser analisados pelo ginecologista. Se tiver corrimento com coloração diferente ou dor, também é preciso verificar o caso. "Pequenos problemas podem evoluir para algo mais grave, como infertilidade", explica a especialista.

Dicas para evitar

Algumas modificações no PH vaginal podem ser um prato cheio para o aparecimento de bactérias. A ginecologista destaca quais hábitos podem facilitar problemas para abandonar desde já:

Biquíni: evite permanecer com o biquíni molhado, pois é uma das maiores causas de vulvovaginite.

Calça jeans: se você costuma usar no dia a dia, saiba que a região da vagina pode ficar abafada. Isso pode contribuir para o aparecimento de fungos, graças à falta de transpiração e uma possível alteração do PH.

Calcinha: tome cuidado na escolha do tecido. As calcinhas sintéticas, por exemplo, dificultam a ventilação e favorece as irritações e infecções. Prefira o algodão.

Depilação: procure não depilar toda a região íntima. A depilação na virilha deve ser moderada, já que os pelos funcionam como uma proteção natural da região íntima.

Higiene íntima: após usar o banheiro, a limpeza correta deve ser feita sempre de frente para trás, evitando trazer bactérias para o canal urinário. Na hora do banho, prefira usar um sabonete íntimo específico.

Lenço umedecido: apesar do cheiro agradável, os lenços perfumados podem causar irritação e até alergias.

Lubrificante: como são oleosos, eles podem ser mais difíceis de ser removidos e acabar contribuindo para uma infecção. Opte por versões com silicone, que possui menor risco de causar alergias e proliferação de bactérias.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Uol