Veja 10 dicas dadas por gays para mulheres praticarem sexo anal

O fato é que muitas ainda não praticaram sexo anal

O ânus é poderoso em terminações nervosas e, portanto, embora não seja essa sua função básica, é bem sensível às estimulações eróticas. Apesar de ser cada vez maior o número de mulheres dispostas a romper esse tabu, o fato é que muitas ainda não praticaram sexo anal - embora sintam vontade - pura e simplesmente porque ainda têm receio sobre como a prática é, na realidade. Outras já experimentaram e juraram nunca mais repetir a dose porque a vivência foi traumática - estavam tensas demais, o par foi afobado, sentiram uma dor absurda e por aí vai.

Se você encaixa em algum desses casos ou somente deseja se aprimorar na prática, oriente-se pelas sugestões de quem mais entende do assunto: os gays. É claro que não é todo cara homossexual que curte anal, mas a maioria tem conhecimento de sobra para compartilhar e aborda o tema sem papas na língua.


A famosa chuca: sim ou não?

A manjada lavagem do ânus e do reto com enema ou chuveirinho é uma prática recorrente entre os gays para eliminar o resto de cocô, mas nem sempre recomendável pelos médicos - e isso vale também para as mulheres. Fazer chuca com frequência pode limpar mais do que resquícios de fezes, como substâncias que estão no ânus para nos proteger. Além disso, quem não sabe fazer direito - a água precisa ser introduzida aos poucos e em quantidade moderada - pode acabar provocando uma bela diarreia e acabar com a festa.

Dá para ficar limpinho sem a chuca?

Um banho no capricho, lavando bem a região em volta do ânus e inserindo um dedo nele com sabonete líquido íntimo é uma boa estratégia, mas ninguém está livre de "passar um cheque" - a gíria adotada pelos gays para a situação em que o pênis fica sujo de fezes. Às vezes, pode acontecer de sair um restinho de cocô mesmo, mas e daí? Riam da situação, limpem-se e prossigam com a diversão.

Alimentação rica em fibras é vida

Para manter o intestino sempre funcionando bem, vale apostar em alimentos poderosos em fibras, como maçã, verduras, cereais e soja. Vale lembrar que se na hora H o seu intestino estiver preso ou solto é possível que acidentes aconteçam. Exagerar na comida antes de fazer sexo anal também é arriscado.

Lubrificação, sempre!

Embora alguns sex shops contem com uma ampla oferta de géis anestésicos para minimizar possíveis incômodos, o segredo número 1 para a prática rolar é investir em um lubrificante à base de água. Esse produto facilita a penetração e deve ser aplicado não só no seu ânus, mas por todo o pênis do parceiro também. Os géis anestésicos, por sua vez, podem mascarar dores e fissuras - assim que passar o efeito, você vai se sentir bem desconfortável.

Camisinha é fundamental

Além de prevenir doenças, quando associada ao lubrificante ajuda o pênis a deslizar melhor. Atenção, garotas! Se for fazer sexo vaginal depois, é preciso trocar o preservativo para que as bactérias do ânus não contaminem a vulva.

Devagar e sempre

As penetrações enlouquecidas com o pênis saindo e entrado do ânus correspondem mais às fantasias alimentadas pela indústria pornô do que à realidade - ainda mais nas primeiras vezes. O cara deve estimular o ânus da parceira aos poucos: primeiro com a língua, depois com o dedo mindinho, o indicador e só depois tentar partir para a penetração. Cuidado e carinho são essenciais; nenhum cara deve partir para a penetração mais funda de cara.

Relaxe e espere

Para aproveitar a experiência, é preciso estar bem relaxada. Depois que o cara põe a cabeça, a sensação pode ser esquisita e até desagradável. É hora de você respirar, enquanto ele espera um pouquinho. Só depois de um tempinho vale introduzir mais o pênis.

Mexa-se

Quem controla o ritmo nas transas iniciais é você, não o homem. Só assim você vai conseguir administrar suas sensações e perceber se dá para ele ir mais ou não. Em tempo: a sensação de que vai fazer cocô é normal, não se assuste.

De conchinha é melhor

O reto, na verdade, não é reto. Por isso, a posição mais desejada pelos homens - com a mulher de quatro - não é a ideal para o sexo anal, já que o pênis bate num certo ângulo do reto e pode causar dor. De conchinha pode ser mais gostoso.

Sexo anal não é presente

Não é algo que você vai dar pro cara como se ele merecesse um prêmio ou algo assim. Nem deve ser agendado para uma data especial, tipo aniversário de namoro ou numa viagem romântica a dois - e se no dia você não estiver se sentindo bem, no clima ou simplesmente não quiser? Faça quando se sentir pronta, nunca por pressão, e, se puder, quando estiver subindo pelas paredes de tesão após preliminares bem feitas. Quanto mais excitada estiver, mais seu corpo estará predisposto.

Fonte: Com informações da UOL
logomarca do portal meionorte..com