"Ainda não caiu a ficha", diz atriz Laura Neiva - 15 anos - após ser descoberta pelo Orkut

Neiva vive a jovem Filipa e contracena com nomes de peso como o ator francês Vincent Cassel

A jovem Laura Neiva, 15, disse que ainda "não caiu a ficha" sobre o fato de ser protagonista do terceiro longa do diretor Heitor Dhalia, "À Deriva", durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira na região central de São Paulo. O filme chega aos cinemas no próximo dia 31.

Neiva vive a jovem Filipa e contracena com nomes de peso como o ator francês Vincent Cassel, 42, ganhador do último César --uma espécie de Oscar do cinema na França-- e com a brasileira Débora Bloch, 46.

"Até o último dia de filmagem, até agora, não caiu a ficha", disse a adolescente, que foi "descoberta" pela rede de relacionamentos Orkut.

Ela disse que a produção tentou entrar em contato com ela duas vezes pelo Orkut. Da primeira vez, ela não respondeu. Na segunda, a resposta foi: "Eu não estou interessada, obrigada".

Neiva já havia participado de uma seleção de casting da produtora O2 e uma conhecida forneceu o MSN dela para a produtora. Via o contato por mensagem, ela percebeu que o convite era sério. "Então eu tive que convencer a minha mãe e foi a parte mais difícil", conta a jovem.

"No Orkut, a gente recebe mensagem todo dia com coisas como você quer ser modelo? você quer ir para a Tailândia?", disse a jovem ao justificar sua "incredulidade" inicial.

Dhalia disse que testou cerca de 600 pessoas para encontrar quem viveria o papel de Filipa. Ele se mostrou encantado em dirigir alguém que não tinha experiência em atuação e tão jovem. "Tem um grau de verdade que você se rende completamente", afirmou o diretor.

CASSEL

Cassel disse que quando leu o texto do filme compreendeu que ele se baseava na visão de Filipa e afirmou ter se perguntado: "E se eu não gostar dessa menina?".

"É sério, se eu aceitasse e estivesse no Rio não ia ter como fugir", afirmou ao francês, que se disse aliviado quando conheceu Neiva.

Já a jovem disse que Cassel sempre tinha uma brincadeira e o relacionamento com ele foi muito diferente do que com Bloch. "A Débora teve o instinto de mãe em acolher a gente, e toda a delicadeza que a Débora tinha, bom, o Vincent era quase o oposto, sempre com uma brincadeira", disse a adolescente.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br