Aluno de medicina é afastado após e-mail homofóbico

Por se tratar de uma universidade federal, a PF vai se manifestar sobre as agressões

Um estudante de medicina da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) está proibido de ingressar na instituição e deve ser expulso após uma sindicância interna o ter identificado como o autor de um e-mail homofóbico repassado aos colegas. O e-mail, enviado no segundo semestre de 2010, compara o homossexualismo ao nazismo e dispara uma série de agressões verbais contra os gays.

O universitário diz que escreveu "àqueles que bravamente se levantam e erguem a voz contra a "ação gayzista!". Ele afirmou que os médicos deveriam se recusar a atender pacientes homossexuais ou tratá-los "erroneamente". "Assim como eles, está na hora de unirmos as forças e, veladamente, fazer o que nos couber para dar fim, pouco a pouco, nesta peste!"

As declarações teriam sido feitas após a vitória de uma chapa para o Diretório Acadêmico liderada por dois homossexuais. Na ocasião, os estudantes que tiveram acesso ao e-mail informaram a imprensa e a reitoria da universidade, que instaurou uma sindicância. O caso foi enviado à Polícia Federal (PF).

Por se tratar de uma universidade federal, a PF vai se manifestar sobre as agressões de cunho preconceituoso, como a seguinte: "triste época essa nossa, onde é moda ser gay. Onde é aceitável o homossexualismo entre os meios superiores de nossa gente. Lamentável nossas crianças terem que se acostumar com viados em proliferação". O estudante pode recorrer da decisão da universidade.

Fonte: Terra, www.terra.com.br