Aos 89 anos, D. Lily Marinho morre após 23 dias internada

Aos 89 anos, D. Lily Marinho morre após 23 dias internada

Ela esteve internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Clínica São Vicente

Dona Lily Marinho, viúva de Roberto Marinho, fundador das Organizações Globo, e Embaixadora da Boa Vontade da Unesco, morreu às 20h05 desta quarta-feira (5), de falência múltipla dos órgãos, aos 89 anos.

Ela esteve internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Clínica São Vicente, na Gávea, Zona Sul do Rio, nas últimas duas semanas. Segundo a assessoria da clínica, ela foi internada no dia 13 de dezembro com infecção respiratória e posteriormente foi transferida para a UTI.

Filha de uma francesa e de um inglês, Dona Lily nasceu em Colônia, na Alemanha, mas foi criada na França. Seu primeiro marido foi o brasileiro Horácio de Carvalho Filho. O casamento durou 45 anos, até ficar viúva pela primeira vez. Em setembro de 1991, casou-se com Roberto Marinho. Eles ficaram juntos até a morte do jornalista, em 2003. No ano seguinte, Dona Lily escreveu o livro "Roberto & Lily", sobre os anos em que passou ao lado de Roberto Marinho.

Dona Lily é Embaixadora da Boa Vontade da Unesco, o braço da ONU para educação e cultura. Ela tinha o hábito de organizar reuniões na sua casa no Cosme Velho, também na Zona Sul. Em julho do ano passado, ofereceu um almoço à então candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff. Foram convidadas personalidades da política e da sociedade carioca para o encontro, como a economista Maria da Conceição Tavares, e escritora Nélida Piñon, Jandira Feghali, Maria Lúcia Horta Jardim, Magaly cabral, Consuelo Paes, Marcela Temer e Lucy Barreto.

Em nota, a presidente Dilma Rousseff lamentou a morte de Dona Lily e elogiou a dedicação dela aos mais necessitados.

Fonte: g1, www.g1.com.br