Após 6 anos da morte de Michael Jackson segurança fazem revelações

No livro os seguranças exploram a vida secreta de Michael Jackson

Image title

Após 6 anos da morte do Michael jackson dois ex-seguranças revelam segredos íntimos do "Rei do Pop". Eles escreveram um livro que explora a vida secreta de um dos homens mais famosos do mundo — Remember The Time: Protecting Michael Jackson In His Final Days.

Na edição dos livros eles contam os momentos mais íntimos do artista. “Tivemos o privilégio de fazer parte da equipe de segurança de Michael Jackson os seus últimos dois anos e meio de vida. Nesse tempo chegamos a conhecer uma pessoa amável e generosa, um pai carinhoso, nada que ver com a figura que era caracterizada nos jornais”, garantiu a dupla.

Confira algumas das revelações do segurança.

Tinha amores secretos

Segundo os autores do novo livro, o cantor teve, pelo menos, duas namoradas secretas nos últimos anos de vida. Ambas viviam fora dos EUA. Os seguranças conheceram-nas quando elas visitaram o artista em Middleburg, na Virgínia — a sua presença foi ocultada da família, dos assessores e dos próprios filhos. Os seguranças nunca chegaram a conhecer o nome delas, mas Michel Jackson sempre as chamavam de “Friend” e “Flower” (“Amiga” e “Flor”, em português).

Image title

Acreditava que estava sendo espionado

Michael Jackson tinha medo de está sendo vigiado e por isso exigia que os lugares que ele ussasse, hotéis, salas de conferência, tinham que ser meticulosamente inspecionados para só depois entrar neles e se ele desconfiasse que o local possuia gravadores ou afina insistia em trocar de quartos e salas.

Brigas familiares eram frequentes

A única pessoa da família que podia visitar o artista sem precisar avisar era sua mãe. Os outros, incluindo sua irmã Janet tinham que agendar com antecedência senão Michael Jackson se recusava a vê-los.Por várias vezes, os seus irmãos tentaram arrombar o portão, mas foram expulsos pela equipe de segurança.

Image title

Era um apaixonado pela literatura

Michael Jackson era um ávido leitor, podia ser livro de qualquer tema — desde história a arte, passando ainda pelo campo da ciência. A paixão pelos livros era tão grande que, numa só ida a livraria o cantor comprou livros no valor de 5 mil dólares, mas o maior gasto teria sido em 2007, durante uma visita a Las Vegas, quando o cantor se apaixonou por uma livraria de livro usados e a comprou por 100 mil dólares.

Image title

Os filhos tinham outros nomes

Michel Jackson exigia que os seus filhos usassem máscaras em público, para se esconderem dos paparazzi. Mas a segurança com as crianças não ficava apenas nisso, os filhos tinham nomes secretos que deviam ser usados entre eles e pelos seguranças para comunicação via rádio. Os pequenos não podiam usar os nomes reais fora de casa.

Fonte: Mundo Conectado