Ator Reynaldo Gianecchini é internado e recebe sinal verde para autotransplante

Ator Reynaldo Gianecchini é internado e recebe sinal verde para autotransplante

Ator deu entrada no hospital Sírio Libanês nesta quarta-feira (4) para realizar exame

Reynaldo Gianecchini está internado novamente. O ator deu entrada no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, nesta quarta-feira (4), para realizar um exame que avalia as condições de orgãos e tecidos.

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da instituição, que, a pedido do ator, não fornecerá outros detalhes sobre a internação.

Gianecchini, que descobriu em agosto um linfoma de não-Hodgkin, estava se tratando de uma infecção, causada por um fungo transmitido por pombos. A doença adiou por um mês o autotransplante de medula óssea, que o ator faria em dezembro. Não há data marcada para o procedimento, que depende do resultado do exame.

Em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", no início de dezembro, Gianecchini contou que se sente bem."Estou aproveitando as poucas horas livres que tenho. Mas sou a pessoa mais sem novidades do mundo", disse.

Exame dá sinal verde e Gianecchini vai fazer o autotransplante

Reynaldo Gianecchini, que deu entrada no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, nesta quarta-feira, 4, já está com o resultado do exame PET Scan em mãos e tem sinal verde para realizar o transplante autólogo de medula óssea. O procedimento será realizado em breve e o ator deve permanecer cerca de 20 dias hospitalizado.

"Falei com o Giane e ele tem certeza de que o transplante vai dar certo", afirmou Roberta Gianecchini, tia do ator em entrevista.

O exame é uma espécie de tomografia e visa avaliar as condições dos órgãos e tecidos de Gianecchini. O ator estava se recuperando de um processo infeccioso causado por um fungo transmitido por pombos.

Em sua última internação, em dezembro, o ator colheu células saudáveis de sua medula óssea para a realização do transplante.

Reynaldo Gianecchini descobriu em agosto que tinha um linfoma de não-Hodgkin, um câncer no sistema linfático.

Fonte: Quem, revistaquem.globo.com