Brasil ganha YouTube só de vídeos históricos gratuitos

Brasil ganha YouTube só de vídeos históricos gratuitos

Site Zappiens.br foi apresentado pelo Comitê Gestor da Internet

Vídeos históricos do país, que antes só podiam ser acessados pelo Arquivo Nacional, aulas e eventos da USP e filmes, agora podem ser assistidos pelo público por meio do portal Zappiens.br. O portal gratuito de distribuição de vídeos apresenta um acervo exclusivo, voltado para o conteúdo científico, educativo, artístico e cultural em língua portuguesa.

O serviço apresentado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), em parceria com o Arquivo Nacional, a Universidade de São Paulo (USP), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN), de Portugal, nesta quinta-feira (4), disponibilizará vídeos para a consulta, permitindo usá-los como referência em pesquisas acadêmicas e trabalhos escolares, por exemplo.

Inicialmente, estarão disponíveis materiais do CGI.br, e dos parceiros USP e Arquivo Nacional, como os Cinejornais, programas de notícias apresentados antes dos filmes nos cinemas brasileiros entre as décadas de 1930 e 1970. No momento, o portal possui cerca de 6 mi vídeos.

?Esta é a oportunidade de reunir e de tornar público acervos raros e exclusivos que podem ser utilizados como fonte para estudo e pesquisa?, diz Henrique Faulhaber, conselheiro do CGI.br e um dos coordenadores do projeto. ?Com acesso gratuito, o objetivo é disseminar cultura, informação científica e tecnológica entre diversas comunidades?.

Para o diretor-geral do Arquivo Nacional, o professor Jaime Antunes da Silva, os vídeos da instituição proporcionarão ao cidadão a oportunidade de acessar e pesquisar na internet um acervo de imagens que retrata a história do Brasil. ?Até então, o usuário tinha que ir até o Arquivo Nacional na cidade do Rio de Janeiro para fazer a consulta de imagens. Com a digitalização do conteúdo, podemos popularizar este acesso e melhorar o atendimento ao usuário?, afirma.

A ideia é que, além dos vídeos, outros conteúdos como fotos e pesquisas em texto das organizações participantes, por exemplo, possam ser divulgadas no Zapping.br. ?Um vídeo de uma aula pode apresentar ligações para imagens ou pesquisas sobre o mesmo tema, facilitando o trabalho de pesquisa do aluno?, diz Faulhaber.

O site possui um sistema de busca que funciona por meio de palavras-chave e por tags, permitindo organizar os conteúdos. Não há limite para o tamanho dos arquivos de vídeo e, por conta de direitos autorais, a maioria só poderá ser acessada para visualização via web.

Segundo os organizadores, o Zappiens.br estará sempre agregando mais conteúdo e buscando parcerias com novas organizações que poderão disponibilizar acervos em vídeo.

Fonte: g1, www.g1.com.br