Brasil vai melhor em educação do que Argentina e Colômbia

Brasil vai melhor em educação do que Argentina e Colômbia

Nenhum país da América Latina chega sequer à metade do ranking do Pisa

Além de ter assumido posição de destaque na política da América Latina, o Brasil passou à frente de vários vizinhos em termos de educação. O sistema educacional brasileiro recebeu no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) nota melhor que a de quatro países latino-americanos - Argentina, Peru, Colômbia e Panamá.

A diferença na média brasileira (401) e a da nação colombiana, comandada por Juan Manuel Santos, é mínima - apenas dois pontos. Em relação à Argentina, a diferença é maior, chegando a cinco pontos. Os "hermanos" têm uma média de 396 na nota para sua rede de ensino.

Em 2000, a Argentina ostentava a mesma média que o Brasil apresentou neste ano, mas na última década o país vizinho teve piora na educação. O Peru é o país que teve a pior nota em todo o continente sul-americano. Os estudantes daquele país conseguiram alcançar apenas 368 pontos, o que o deixou na 63ª posição - dez atrás do Brasil, que alcançou 53º lugar no ranking geral do Pisa.

Ainda pode melhorar

Mesmo à frente de importantes vizinhos, o Brasil fica atrás de outros três países da América Latina em termos de educação: Chile, Uruguai e México. A diferença entre a nota das escolas brasileiras e mexicanas é de 19 pontos.

Ao todo, 470 mil estudantes foram testados pelo Pisa - cerca de 20 mil alunos fizeram a avaliação no Brasil. É preciso considerar, no entanto, a diferença de tamanho dos países latino-americanos, o que pode influenciar na resolução dos problemas educacionais, na opinião de especialistas.

A solução dos problemas brasileiros é complicada. O Brasil tem dez vezes mais habitantes que o Chile, por exemplo, o melhor colocado da América Latina - as escolas do país ficaram 38 pontos à frente do sistema educacional brasileiro. O Uruguai teve desempenho pior que o Chile; ainda assim, obteve 26 pontos a mais do que o Brasil.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, comentou o fato de que todos os países que estão à frente do Brasil, incluindo o Chile, têm "renda per capita superior à brasileira".

- Mesmo a Argentina, que tem uma renda per capita bem superior à brasileira, ficou atrás do Brasil em termos de educação. Ainda assim o Brasil conseguiu superar a Argentina [em educação] na década.

O Brasil é o terceiro entre os que mais melhoraram suas médias em educação em uma década, entre 2000 e 2009. Os bons resultados, no entanto, não conseguiram fazer com que os países da América Latina chegassem sequer à metade do ranking.

A nota dos latino-americanos (402 pontos) ficou 94 pontos abaixo da média dos 64 países avaliados pelo ranking da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), entidade que calcula o Pisa e é formada na maioria por países desenvolvidos (como EUA, Alemanha, Áustria e Japão).

Entenda o Pisa

Com a finalidade de produzir informações sobre a educação nos países, o Pisa é um programa internacional que avalia estudantes de 15 anos, idade de conclusão da escolaridade básica na maioria das nações.

O programa avalia três áreas de conhecimento: leitura, matemática e ciências. Os estudantes mostraram que leem melhor, sabem fazer contas ou resolver problemas de química. Enquanto a média em português e leitura foi de 412 no Brasil, em matemática o país teve 386 pontos, 26 a menos.

A pesquisa usa a TRI (Teoria de Resposta ao Item), uma tecnologia de questões que garante a comparação entre as provas. É a mesma fórmula usada no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Fonte: R7, www.r7.com