Bruna Marquezine espera que namoro com Neymar não atrapalhe carreira

""Normalmente, a fama é consequência do meu trabalho. Desde pequena aprendi isso"", disse a atriz.

No futuro, vai ser fácil para Bruna Marquezine recordar seus 17 anos. A atual idade marca a fase em que a atriz ganhou um papel de periguete e surgiu com figurino ousado em ?Salve Jorge?, assumiu o namoro com o jogador Neymar depois de meses de especulação sobre a relação, recebeu o primeiro convite para ser madrinha de bateria da Grande Rio no carnaval (e recusou) e, ufa, foi escalada para interpretar a Helena jovem na próxima trama de Manoel Carlos, autor responsável por sua estreia, em novelas com ?Mulheres apaixonadas? (2003). Enquanto ainda passa pelas mudanças naturais da adolescência, Bruna, que cresceu diante das câmeras e está em sua oitava novela, tenta assimilar o fato de ver praticamente tudo o que faz agora virar notícia.


Bruna Marquezine espera que namoro com Neymar não atrapalhe carreira

? Normalmente, a fama é consequência do meu trabalho. Desde pequena aprendi isso ? observa.

Hoje, Bruna não sabe avaliar se o namoro com o atacante do Santos eventualmente poderá ajudar ou atrapalhar a sua carreira.

? Estou aprendendo a lidar com tudo isso. Não deixo que essa repercussão tire o foco do que realmente importa para mim. Espero que (o namoro) não atrapalhe em nada.

Ela passa a impressão de viver cada dia de uma vez. Ao contrário de quase toda jovem da sua idade, Bruna jura não estar ansiosa para seu aniversário de 18 anos, em agosto. No momento, seu único plano para quando completar a maioridade é comprar e dirigir o próprio carro.

Apesar de já ser vista como ?mulherão?, a atriz confessa manter até hoje uma prática da infância: estar junto da mãe, Neide, em todo e qualquer trabalho.

? Ela costuma me acompanhar. E me ajuda com os meus horários e compromissos ? lista a atriz.

A relação com Neide, explica, é ?de muito respeito e companheirismo?. Mesmo nos momentos em que a atriz quer alguma coisa e sua mãe não concorda com ela.

? Normalmente é a vontade dela que costuma prevalecer (risos) ? revela, para em seguida dizer que tudo em casa é conversado: ? Conseguimos sempre entrar em acordo.

São os pais de Bruna que administram o dinheiro dela. Em geral, a atriz costuma gastar com sapatos e eletrônicos. A adolescente, que posta fotos quase que diariamente no Instagram ? em muitas das imagens está diante de espelhos revelando as diferentes capinhas de celular que coleciona ?, conta não ser uma pessoa tão conectada assim.

? Uso a internet como forma de distração e para falar com minhas amigas ? resume.

Ela diz ouvir todo tipo de música, ?de rock até pagode?. E elege Joss Stone, John Mayer, Seu Jorge, Adele, Maroon 5, e Maria Gadú como artistas preferidos. Com planos de cursar faculdade de Cinema, Bruna demonstra transitar por diferentes estilos literários. A atriz cita como marcantes ?O pequeno príncipe?, ?Feliz por nada?, ?Orgulho e preconceito? e ?O lado bom da vida?.

Torcedora do Flamengo, ela não parece ter maiores interesses por futebol.

? Gosto pouco (de assistir aos jogos). Vejo alguns com meu pai. Principalmente se for uma disputa entre Flamengo e Botafogo. Ele é botafoguense e gosto de brincar.

Com o tempo que terá entre um trabalho e outro na TV ? ?Salve Jorge? acaba em maio, e o início das gravações do próximo folhetim, ?Em família?, está marcado para outubro ?, Bruna pretende viajar de férias.

? Quero descansar, passear e viajar, mas ainda estou escolhendo o destino ? despista.

O convite para interpretar a fase jovem da protagonista de ?Em família? ? e ainda a filha da mesma personagem (feita por Júlia Lemmertz na maturidade) ? foi feito pelo próprio Manoel Carlos.

? Fiquei muito lisonjeada e animada em poder voltar a trabalhar com ele. Mas ainda é cedo para falar mais sobre isso. No momento, meu foco é a Lurdinha ? diz.

Vinda na sequência da recatada Belezinha, de ?Aquele beijo? (2011), a despachada Lurdinha, moradora do Complexo do Alemão na trama das 21h, é encarada por Bruna como ?um enorme aprendizado?.

? Ela me tira da minha zona de conforto, me desafia e me dá oportunidade de mostrar mais do meu trabalho. Está provando, inclusive para mim mesma, o quanto posso fazer papéis diferentes, não só o papel de boa moça ? destaca.

Somente com Gloria Perez, autora de ?Salve Jorge?, Bruna já fez a deficiente visual Flor, de ?América? (2005), e Andressa, na minissérie ?Amazônia, de Galvez a Chico Mendes? (2007). Atriz que já passou por todos os horários de novelas e representou textos de diferentes autores na Globo, ela não acredita ter sacrificado sua vida por ter começado cedo.

? Não teve parte difícil. Tive a sorte de descobrir cedo o que queria fazer e sempre tive o apoio da minha família.

Fonte: OGlobo