Caixa-preta do voo 447 aponta erro dos pilotos, segundo jornal

Caixa-preta do voo 447 aponta erro dos pilotos, segundo jornal

BEA diz que, nesta fase do inquérito, nenhuma conclusão pode ser tirada.

O jornal francês ?Le Figaro? informa nesta terça-feira (17) que análise inicial do conteúdo de uma caixa-preta do Airbus da Air France que fez o trágico voo 447, entre Rio e Paris, em 31 de maio de 2009, aponta "erro dos pilotos" como motivo do acidente que causou a morte de 228 pessoas. Agências internacionais de notícias reproduzem a informação do períódico.

O jornal francês diz ter tido acesso ao conteúdo das caixas, e informa que os primeiros dados examinados podem livrar de culpa a fabricante do avião, a Airbus. Segundo o Le Figaro, a Airbus já teria informado a seus clientes que, com base nas informações da investigação, não há nada tecnicamente de errado com suas aeronaves.

A informação, porém, não foi confirmada pelo Escritório de Investigação e Análise (BEA, na sigla em francês), órgão que investiga acidentes aeronáuticos.

De acordo com o BEA, a informação é um ?tributo ao sensacionalismo, uma afronta ao respeito dos passageiros e tripulantes que morreram?.

O BEA informou, em nota em seu portal, que ?qualquer informação sobre a investigação de outra fonte é nula se não for confirmada pelo BEA?. Segundo o escritório, a investigação ?é longa e meticulosa? e ?nesta fase do inquérito nenhuma conclusão pode ser tirada?.

Segundo o BEA, todos os dados contidos nas caixas-pretas foram recuperados e estão em ótimo estado, de acordo com comunicado divulgado na segunda-feira (16).

Os gravadores de voz e de dados do avião da Air France foram retirados do Oceano Atlântico na última semana. Estavam a quase 4 mil metros de profundidade e foram resgatados após o uso de um submarino inteligente.

O primeiro gravador a ser aberto foi o que contém os dados do voo. A outra caixa-preta contém as informações do Cockpit Voice Recorder (CVR), que possui a gravação de voz na cabine.

De acordo com o jornal, especialistas do BEA estão tratando de determinar se o erro foi exclusivamente humano e também estão levando os investigadores a se concentrarem nos procedimentos adotados pela tripulação após a falha inicial das sondas que medem a velocidade.

O BEA descartou divulgar informações parciais sobre o conteúdo das gravações. As primeiras conclusões podem exigir meses. O relatório final sobre o acidente deve ser divulgado apenas no início de 2012.

O Comando da Aeronáutica enviou, na terça-feira (10), para a França um oficial especialista em abertura e de gravação de caixas-pretas para acompanhar a leitura os gravadores recuperados em alto-mar.

As operações de resgate dos corpos das vítimas serão retomadas por volta do dia 20 de maio, quando deverá ocorrer a troca da tripulação do navio. Dois corpos foram retirados do mar.

Fonte: g1, www.g1.com.br