Censo 2010 poderá ser feito via internet

Condomínios vão receber foto do recenseador responsável

A internet promete ser uma grande aliada no Censo 2010, que começa a ser realizado em agosto deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pretende coletar dados em cerca de 58 milhões de domicílios em 5.565 municípios do país. A ideia é que os responsáveis pelos domicílios tenham disponível um formulário on-line.

Mas a estratégia não pretende diminuir o trabalho dos cerca de 190 mil recenseadores contratados para colher as informações que vão traçar o perfil do povo brasileiro. “A dificuldade deve-se muito à indisponibilidade das pessoas”, explicou o diretor-executivo do IBGE, Sergio Cortes, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (26).

Como funciona

O esquema deverá funcionar da seguinte forma: o recenseador vai a um determinado domicílio e o mapeia, usando seu computador de mão. Se o morador não puder recebê-lo no momento, e quiser responder via internet, o funcionário vai expedir um código de acesso vinculado àquele domicílio, que deverá ser usado pelo morador quando for responder ao questionário on-line.

Depois de 10 dias, se o entrevistado não responder, receberá um telefonema lembrando-o do compromisso e, se ainda assim, não enviar o formulário, o recenseador voltará à casa para terminar de preencher as respostas. Não haverá prejuízo ao trabalho do funcionário, que será remunerado pelo trabalho feito em sua área de atuação, incluindo os formulários pela internet.

O questionário virtual poderá ser respondido aos poucos, sendo salvo a cada atualização. Com isso, as informações vão, paulatinamente, entrando para o sistema de dados do IBGE. Mas para ser considerado válido, algumas questões básicas como idade, sexo e outros dados, precisarão ser respondidas no ato.

“Fizemos testes e não apuramos nenhuma distorção dos resultados na entrevista presencial ou pela internet. Por isso, achamos que não vamos ter problemas com isso”, disse a coordenadora operacional de censos do IBGE, Maria Vilma Garcia.

Fonte: g1, www.g1.com.br