Chapéu e peruca de Michael Jackson estão esgotados na 25 de Março

Venda de CDs e DVDs também deixa ambulantes contentes

Na região da Rua 25 de Março, Michael Jackson não morreu. Nas lojas e nos camelôs do maior centro de comércio popular de São Paulo, objetos que lembram o astro pop estão por toda a parte. Mas não em quantidade. Na sexta-feira (3), chapéus e até a peruca que imita o visual atual do cantor estavam em falta.

Para incentivar os clientes, a vendedora Kátia Aparecida dos Santos, de 22 anos, se vestiu de Michael Jackson. Uma roupa toda preta, luvas brancas, chapéu e até maquiagem branca no rosto compunham o personagem. ?Eu me vesti anteontem (na quarta) e as vendas aumentaram. O chapéu acabou?, contou ela, que trabalha em uma loja de fantasias na Ladeira Porto Geral.

Quando foi procurar no estoque, uma surpresa. Kátia viu que não havia mais a peruca preta, que imita os cabelos lisos usados pelo ?rei do pop? nos últimos anos. ?Quem não gosta do Michael Jackson? Agora é a fantasia do momento?. Para garantir que ninguém fique sem os acessórios, o dono da loja já encomendou os produtos. ?Agora estamos vendendo mais. Peruca black power e até maquiagem para o rosto?, disse Michel Feghali.

Em outro estabelecimento ali perto, também especializado em fantasias, mais lucro e pedidos depois do anúncio da morte de Michael Jackson no dia 25 de junho. ?O pessoal tem procurado a peruca com o cabelo que ele usava agora. Está vendendo bastante. Toda hora tem que repor?, afirmou a vendedora Linda Carter Martins, de 29 anos, que oferece o adereço a R$ 25. O par de luvas brancas custa R$ 5.

Músicas

Em todas as esquinas da região, camelôs tocam nos alto-falantes músicas da moda. Em meio à mistura de ritmos, que vão do forró ao rock, canções de Michael Jackson. Os ambulantes comemoram o sucesso nas vendas.

?Essa semana saiu bem mais do que o normal. As pessoas falam que é para guardar de recordação?, contou Ribeiro da Silva, de 46 anos, que vende o material pirata. Entre os DVDs que ainda restavam na tabuleta, estavam ?Bad? e ?Number One?. O álbum ?Thriller? estava em falta. ?Vou repor tudo para amanhã (sábado)?, prometeu.

Um pouco mais adiante, Diego Souza Lima, de 21 anos, deixava à mostra os únicos três DVDs que ainda restavam do astro. ?De segunda-feira para cá vendi uns 30. Está saindo muito. O pessoal vai guardar de recordação?. Se a concorrência é grande, o preço é um só. Um DVD por R$ 4. Na ?promoção?, três saem por R$ 10.

Fonte: g1, www.g1.com.br