Chargista do Jornal Meio Norte expõe no Congresso Nacional

Com a tela sobre o cotidiano rural, Moisés dos Martírios participa da Mostra “Artistas Brasileiros – 2010 – Novos Talentos – Pinturas”, no Congresso

O chargista Moisés dos Martírios está participando da Mostra ?Artistas Brasileiros ? 2010 ? Novos Talentos - Pinturas?, que foi aberta ontem e fica em exposição no Salão Branco do Congresso Nacional até o dia 2 de dezembro, com a tela Cotidiano Rural.

A mostra, que também terá um catálogo com as obras dos artistas, é promovida anualmente pelo Senado Federal e tem como objetivo descobrir e divulgar novos talentos nas artes. Ela reúne obras de artistas de cada um dos 27 estados brasileiros, indicados pelos senadores.

Moisés dos Martírios foi indicado pelo senador Heráclito Fortes, um dos maiores apreciadores do seu trabalho. ?Jovem e com um grande potencial artístico, o Moisés, ao contrário do que muitos pensam, não é uma revelação apenas nas charges, que já é reconhecida por todos os piauienses. Ele é também uma grata surpresa na pintura e merece essa indicação para participar da exposição organizada pelo Senado?, disse o senador.

Para o parlamentar piauiense a Mostra é uma bela oportunidade de divulgar junto à população esses novos artistas, presentes em cada unidade da federação brasileira, revelando, através de suas obras toda a diversidade cultural do país.

"Reconhecido pelo traço criativo das suas charges, em que aborda quase sempre e com muito humor a temática política, o Moisés também surpreende na pintura - talento que ele deixou adormecido por algum tempo - ao revelar outro lado seu: o artista mais intimista, porém, não menos cúmplice e observador dos fatos à sua volta. Aqui, ele retrata uma cena simples e bucólica do interior de Picos, um contraponto à realidade da cidade que cresce e se expande economicamente", declara Heráclito.

Na tela selecionada para participar da Mostra ?Artistas Brasileiros ? 2010 ? Novos Talentos ? Pinturas?, o chargista do Jornal Meio Norte mostra o regionalismo do Piauí em óleo sobre tela. ?Mostro uma cena bucólica do sertão piauiense. É um quadro que representa bem a vida no sertão?, explica Moisés.

Mais conhecido como chargista, Moisés diz que a pintura sempre fez parte de sua vida. ?Antes de ser chargista já tinha quadros pintados?, diz, declarando que, comercialmente, como a charge trouxe resultados mais rápidos, ele enveredou por esse caminho, sem deixar de lado a pintura.

Em Brasília, Moisés mostra uma outra vertente de sua arte e revela ao Brasil uma tela pintada há 5 ou 6 anos. Nessa área de artes plásticas, ele cita a influencia que recebeu de Tácito Ibiapina, também de Picos. ?Ao ver os quadros de Tácito, senti necessidade de fazer algo com estilo semelhante?, diz, declarando que, como pintor, ele faz um retrato do cotidiano e seguindo essa linha, ele planeja pintar levar para as telas os bastidores de uma cena bíblica e retratar algo que, muitas vezes, não é percebida pelo público e ele pretende mostrar a cena com um olhar mais atento à visão das pessoas que estavam assistindo.

Para Moisés, a charge, muito mais difundida no Piauí e em outros estados, é uma forma de mostrar sua opinião através do traço e retratar o cotidiano com uma certa dose de humor.

Fonte: Isabel Cardoso, Jornal Meio Norte