Cláudia Leite sobre a gravidez: "Se vier menina vai ser o máximo"

Aos sete meses de gestação, ela garante que não sabe o sexo do bebê.

Ela é linda e famosa, mas na hora de viver as dores e delícias da maternidade Claudia Leitte é como qualquer mortal: queria ter mais tempo para ficar com o filho, desdobra-se para ser boa profissional e sente culpa por ter que deixar o rebento em casa para trabalhar.


Cláudia Leite sobre a gravidez:

Entrando no sétimo mês de sua segunda gravidez - ela já mãe de Davi, de 3 anos -, Claudia fala das diferenças de uma gestação para a outra, da preparação para o segundo filho e diz que quer aumentar ainda mais a família. "Gosto de família grande e sempre me vi com muitos filhos", diz ela, que pretende trabalhar até um mês antes do parto.

Confira a íntegra da entrevista da cantora para o Ego:

Segunda gravidez é mais tranquila?

CLAUDIA LEITTE: Estou achando mais rápida. Daqui a pouco já acabou. Agora também já não sofro mais com o tamanho da minha barriga. Já sei que ela é pequena mesmo. Vejo gente com barriga de três meses maior do que a minha (risos). Minha disposição também está diferente. Estou cansada, aquele cansaço da gravidez, mas estou preparada. Já sei o que vem.

Como você consegue dar conta de agenda de shows, um filho pequeno e ainda uma gravidez?

Só é possível com uma equipe que respeita os meus limites. Mas é preciso muita coragem. É difícil para todo mundo. Sei que tem muitas mães que tem que deixar o filho na creche para trabalhar. Eu, graças a Deus, tenho minha mãe, meu pai e meus sogros, que me ajudam. Mas é difícil, sim.

Por que optou por revelar sua gravidez já com ela bem avançada?

Ano passado eu dividi uma expectativa relacionada aos meus planos e me frustrei muito mais por causa das cobranças. Muita gente participou de algo extremamente pessoal. Aprendi que devo continuar sendo espontânea como sempre, mas que nem sempre posso compartilhar tudo. Foi difícil!

Já sabe o sexo do bebê?

Ainda não sei...(risos)

Não está curiosa? Não quer saber?

Minha mãe viveu essa experiência nas duas vezes em que engravidou e disse que é incrível!

E em nomes, já pensou?

Sinceramente, ainda não sei. Espero que seja como o de Davi. Eu sabia seu nome antes de saber o sexo. Fiz uma listinha, mas só quero dizer quando tiver certeza. Senão muitas pessoas vão participar da escolha, e eu quero que seja pessoal, entre mim e meu marido, como da primeira vez.

Como está a decoração do quartinho do bebê?

Não tem nada ainda (risos). Tudo vai ser muito simples. E eu não vou me ater a cores de menino e menina. Também vou reaproveitar muita coisa de Davi. O que era azul, vai ficar bege ou pastel, porque não sei o sexo. O mais importante é que darei amor e me darei ao "luxo" de ficar um tempo sem trabalhar, antes e depois de parir.

Como será essa licença-maternidade?

Vai ser curta. Afinal, sou a geradora da minha empresa. As pessoas dependem de mim. Apesar de ser uma licença-maternidade curtinha, vai ser diferente da outra, que foi de um mês. Agora vou poder curtir um pouquinho mais meu bebê. Essa gravidez foi planejada. Isso muda tudo.

Davi está com ciúmes do irmãozinho?

Ele está mais grudado em mim. Sempre fui a rainha dele (risos). Agora eu sinto que a coisa está mais evidente. Há o cuidado que lhe é natural, mas um certo ciúme, sim. Perfeitamente normal também. Aos poucos ele vai descobrir que não há desassociação. Que nosso amor por ele é incondicional e imutável! Essa ainda não é a consciência de um menino de três anos. Somos pacientes e adoramos demonstrar nosso amor por ele. Tudo acontece no tempo certo!

Além de Davi e do bebê que está a caminho, gostaria de ter mais filhos?

Não sei bem. Mas eu gosto de família grande e sempre me vi com muitos filhos...

Gostaria de tentar uma menina?

Se vier uma menina agora, vai ser o máximo, mas não me importo. A gente vislumbra certas coisas, mas tudo depende do plano de Deus. É Ele quem comanda. Já não me preocupo com o sexo do bebê desde o comecinho desta gravidez.

Fonte: EGO