Conheça três séries imperdíveis para assistir nas férias

Confira, abaixo, uma seleção de três bons seriados para uma maratona televisiva.

Para os telespectadores que desejam fugir dos especiais e dos filmes dublados da TV aberta, ainda há excelentes alternativas. Confira, abaixo, uma seleção de três bons seriados para uma maratona televisiva.

Bates Motel


Exibir uma série baseada na adolescência de um dos psicopatas mais famosos da história do cinema é uma ideia desafiadora. Ainda mais quando se trata de um sucesso de bilheterias do diretor Alfred Hitchcock. Psicose (1960) é um dos filmes de terror mais lembrados da história do cinema americano, principalmente pelo crime em que a secretária Marion Crane (Janet Leigh) é assassinada no chuveiro. O canal A&E decidiu recriar o passado de Norman Bates e mostrar como seu distúrbio sórdido foi desenvolvido a partir do relacionamento doentio com sua mãe.

 O grande trunfo da série está ancorado no relacionamento entre mãe e filho e Norma pode ser considerada uma excelente anti-heroína. Ao mesmo tempo em que protege o filho e mostra ótimas intenções em sua educação, ela manipula seu comportamento e utiliza a chantagem emocional para controlar a vida de Norman (Freddie Highmore). O talento da atriz Vera Farminga é preponderante para que a relação se torne, cada vez mais, obsessiva. A terceira temporada de Bates Motel tem estreia programada para março nos EUA. (veja o trailer). No Brasil, o programa é exibido pelo canal Universal Channel.

Orange is the New Black


No seriado, Piper Chapman (Taylor Schilling) é uma mulher classe média alta que foi condenada por quinze meses de prisão por carregar uma mala de dinheiro ligada ao tráfico de drogas. Ela cometeu o crime para ajudar sua ex-namorada Alex Vause (Laura Prepon), que comandava negócios ilícitos na época. Veja mais informações sobre Orange is the New Black Baseado na vida e no livro homônimo de Piper Kerman, a atração mostra como a protagonista vivenciou o cotidiano da prisão e compreendeu que ficar encarcerada não era somente uma punição, e sim uma experiência única de autoconhecimento.

Orange is the New Black não é uma atração fascinante apenas pelo realismo exibido ou pelas diferenças sociais impostas na cadeia. O grande destaque da série são as demais detentas que convivem com Piper. No programa, não há espaço para coadjuvantes frágeis. Preste atenção nas histórias de: Crazy Eyes, Red, Pennsatucky e Vee.

Orphan Black


Para depositar o sucesso da atração no desempenho de uma única atriz, é preciso ter muita irreverência e confiança. O seriado conquistou boa audiência por conta da versatilidade de sua protagonista - Tatiana Maslany - e por exibir uma trama surpreendente a cada episódio.

O programa acompanha a vida da jovem Sarah Manning. Após voltar a Londres, ela descobre que faz parte de um experimento científico e conhece mulheres que são seus clones. Por conta da inusitada situação, a protagonista começa conviver com as demais personagens e juntas elas tentam desvendar os segredos de suas origens. 

A mutabilidade de Maslany pode ser considerada o grande diferencial da série. A atriz é capaz de se transformar em diferentes personagens, com diversas personalidades, e manter o mesmo nível de interpretação em todas elas. Em 20 capítulos, foram mais de oito clones que surgiram para agregar fatos e também para movimentar um excelente roteiro. Os próximos capítulos do programa serão exibidos a partir do dia 18 de abril na televisão americana (assista ao trailer). No Brasil, a série é transmitida pelos canais BBC HD, A&E e também está disponível no Netflix.

 

Fonte: Brasil Post