Copola pede a mão de Irene

Surpresa, sem reação, Irene não acredita no que está ouvindo

Copola se cansa de ser apenas o primeiro amor de Irene. Depois da morte de Gonçalo, o aposentado fica cheio de esperança de voltar a ter a mulher amada nos seus braços. Paciente, ele espera a viúva se recuperar e fica ao lado dela na recuperação da fábrica.

Mas o tempo passa e o ex-marido de Iolanda decide colocar Irene contra a parede. Mesmo amando, ela fica reticente. ?Copola... Eu estou longe de superar tudo o que aconteceu. Só tenho vontade de ficar quieta, recolhida...?, ela avisa.

O avô de Cassiano não se conforma e dá um ultimato. ?(...) Vamos avaliar nossa situação: já somos bem crescidinhos, você e eu! ? estamos sozinhos, desimpedidos... Sabe a única coisa sensata que você pode fazer agora na sua vida? É se casar comigo, Irene! Vamos nos casar, logo e pronto!?, ele propõe.

Surpresa, sem reação, Irene não acredita no que está ouvindo. Ela diz que Copola continua intempestivo como na juventude e que não está preparada para dar este passo tão importante. ?Vamos continuar convivendo como bons amigos, como temos sido até agora?, sugere.

Mas Copola se irrita. Ele não quer saber de esperar mais para viver o amor que sempre quis e pressiona Irene. ?Não vou ser mais seu amigo nem seu namoradinho. É marido ou nada! Mas, se você precisa, te dou uma semana pra decidir (...) E, tem mais! você vem a mim com a sua resposta! Eu não vou mais ficar correndo atrás de você?, avisa ele.

Você não pode perder essas cenas, que devem ser exibidas a partir do dia 13/01, terça-feira.

Fonte: Globo, www.globo.com