Criança de quatro anos vence batalha contra câncer de mama

Criança de quatro anos vence batalha contra câncer de mama

Aleisha Hunter é a pessoa mais jovem a ser diagnosticada com a doença.

A canadense Aleisha Hunter, hoje com 4 anos de idade, se recuperou totalmente após dois anos de tratamento contra um câncer de mama. Moradora na cidade de Toronto, a menina é a pessoa mais jovem a ser diagnosticada com a doença.

A história começou quando a garota começou a ter inchaços no peito, em dezembro de 2008. A mãe, Melanie, descobriu um caroço do tamanho de uma vagem no local, após um banho. À época, Aleisha ainda não havia completado três anos de idade.

Em janeiro de 2009, o inchaço aumentou, gerando uma pequena esfera de 2 cm, que impedia Aleisha de dormir, tamanha a dor.

Após o diagnóstico de câncer, uma mastectomia - cirurgia para remoção das mamas - foi feita e a garota teve 16 nódulos linfáticos retirados de seu corpo. O procedimento foi bem sucedido, o câncer foi removido e o tratamento dispensou o uso de quimioterapia e radioterapia. A garota saiu do hospital após três dias da operação.

"Eu sei que eu tive câncer no meu peito e que os médicos me fizeram melhorar", diz Aleisha, ao jornal britânico "Daily Mail". "Sei que a doença pode fazer algumas pessoas irem para o céu, mas eu estou melhor agora."

A médica responsável pela cirurgia, Nancy Down, afirmou nunca ter visto um caso parecido em 25 anos de profissão. "É o caso mais jovem conhecido no mundo", disse a especialista. Os médicos acreditam que o câncer não irá retornar, mas Aleisha passará por check ups constantes nos próximos anos e por uma cirurgia para reconstrução dos seios quando chegar à adolescência.

O câncer de mama é raro em crianças pois há pouco tecido no local e os hormônios femininos ainda não se manifestaram. O risco aumenta com a chegada da puberdade, mas afeta normalmente mulheres com mais de 30 anos. Antes de Aleisha, a pessoa mais jovem a ser diagnosticada era Hannah Powell-Auslam, que soube da doença quando tinha apenas 10 anos, em 2008.

Fonte: g1, www.g1.com.br