6 idiomas fictícios que se pode aprender na internet

6 idiomas fictícios que se pode aprender na internet

A internet permite aprender a distância

Você sabia que alguns idiomas fictícios podem ser aprendidos pela internet? Confira quais são nesse post:

1. Nadsat – Laranja Mecânica

Em “Laranja Mecânica”, Anthony Burgess criou um modo de falar bem peculiar para seus personagens. As expressões usadas por Alex DeLarge (Malcolm McDowell) e sua banda são uma mistura do dialeto da classe operária britânica e o russo. Não pode ser considerado um novo idioma, mas uma série de expressões idiomáticas associadas ao inglês. A grande inspiração de Burgess para criar o nadsat foram as falas dos mods e dos rockers da década de 1960. Dezenas de dicionários circulam por aí, mas o mais completo e em português que encontrei foi no site da editora Aleph.

2. Ofidioglossia – Harry Potter

A língua dos descendentes de Professor Salazar Slytherin, o fundador da Sonserina, não poderia ficar de fora, não é? A língua que Voldemort usa para se comunicar com a serpente Nagini, é quase impossível de pronunciar. Por causa de sua dificuldade, só Harry Potter e quem já nasce com o talento consegue falar o idioma. Se você quer aprender esse idioma, deve acessar o The Parselmouth, que transforma qualquer palavra em Ofidioglossia.

3. Dothraki – Game of Thrones/ Crônicas de Gelo e Fogo

Apesar de não parecer, Karl Drogo não estava apenas rosnando palavras incompreensíveis. Esse dialeto foi desenvolvido para a série da HBO pelo linguista norte americano David Peterson para torná-lo crível na tv. Perterson é um dos mais famosos inventores de línguas tendo criado idiomas para séries como Penny Dreadful e filmes como Thor 2: O Mundo sombrio.

Para aprender esse idioma, você pode acessar o site Dothraki.com, mantido pelo próprio Perterson, e o Dothraki.org.

4. Na’vi – Avatar

Esse é o idioma criado pelo professor Paul Frommer, da Universidade do Sul da Califórnia, para os alienígenas humanóides do filme Avatar. Esse idioma deveria ser fácil de falar, mas sem lembrar nenhuma das línguas já existentes. Se você quiser aprender essa língua, o site Learn Na’vi possui as gramáticas e o vocabulário para você estudar.

5. Quenya e Sindarin – O Hobbit e O Senhor dos Anéis

Esses idiomas élficos foram criados por J. R. R. Tolkien, autor das sagas O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Esses idiomas foram desenvolvidos inspirados na fonética do finlandês e das línguas célticas, mas isso não significa que quem fale esses idiomas idioma consegue entender o Quenya ou o Sindarin. Tolkien era um linguista tão incrível que, além dos idiomas élficos, ainda criou o idioma dos anões (Khuzdûl) e Orcs (língua negra). Se você quiser aprender Quenya, basta acessar o ardalambion.

6. Klingon – Jornada nas Estrelas

Esse dialeto do povo Klingon, de Jornada nas estrelas, é tão popular que está disponível no Duolingo, serviço para aprender idiomas. Além do sucesso da série, a série The Big Bang Theory também contribuiu muito para torná-lo popular no mundo nerds.

Esse idioma começou de um jeito curioso, já que ele surgiu quando James Doohan, que vivia Scotty em “Star Trek”, improvisou na hora de falar em Klingon e acabou inventando algumas palavras. Com base nelas é que o linguista estadunidense Marc Okrand criou todo o idioma.

Fonte: Deveserisso