8 realidades que só as mulheres evangélicas vão entender

8 realidades que só as mulheres evangélicas vão entender

As mulheres ganharam mais espaço e liberdade social

Muitas religiões pelo mundo fazem com que seus adeptos passem ater costumes que antes não tinham. Alguns hábitos em algumas igrejas e assembleias evangélicas acabaram se tornando mais famosos do que a realidade.

Isso quer dizer que nem todos os hábitos associados ao estereótipo da religiosa são comuns para todas instituições. Para entender como funciona, listamos 8 realidades que só as mulheres evangélicas vão entender.

1. São como as outras mulheres

As mulheres ganharam mais espaço e liberdade social, fazendo com que as evangélicas sejam como as outras mulheres. A principal diferença está apenas na devoção religiosa que, ainda assim pode ser encontrada em outras mulheres de diferentes religiões.

2. Não são santas

Mesmo sendo religiosas, ainda cometem erros e deslizes que as tornam iguais às outras, mas estão na igreja, talvez buscando uma aproximação de Deus e uma correção do que acreditam ser pecado.

3. Podem usar maquiagens e cuidar da imagem

Muitas igrejas se apoiam nas cartas de Paulo para proibir mulheres de usarem maquiagens, acessórios e joias. Apesar disso, a interpretação escolhe um víés radical, que não está claro na Bíblia e não é seguido por todas congregações, que liberam a preocupação com a vaidade, desde que isso não a impeça de seguir os ensinamentos religiosos.

4. Também ouvem e dançam funk

Apesar de ser considerado ritmo impuro e chulo mesmo para pessoas que não são religiosas, a música pode passar uma mensagem apreciada por evangélicos. Existem artistas mulheres que cantam funk com mensagens religiosas, mostrando que a música também tem espaço nas igrejas.

5. Não são puritanas

Existem mulheres dentro da própria igreja que estudam o sexo e o discutem dentro da comunidade, mesmo que isso possa, às vezes, ser motivo de preconceito nas assembleias.

6. Podem ter o cabelo curto

Algumas igrejas recomendam que as religiosas usem os cabelos longos para evitar vaidade, de acordo com suas interpretações das cartas de Paulo relatadas na Bíblia. No entanto, exatamente por ser uma questão de interpretação, a recomendação pode não estar presente em todas igrejas, que permitem os cortes de cabelo a critério da fiel.

7. Não são todas conservadoras

Há por exemplo grupos de feministas cristãs, que geram polêmica dentro da própria igreja em temas como feminismo, aborto ou homossexualidade.

8. Não são obrigadas a usar saias compridas

Segundo Paulo, a igreja é um lugar sagrado onde ninguém deve se vestir de modo extravagante. Por isso, algumas comunidades ditam sugestões de vestimentas que as religiosas seguem, o que não quer dizer que é uma regra para todas.

Fonte: Fatos Desconhecidos