Anúncio é banido por mostrar modelo com aparência jovem demais com maiô sexy

A cadeia de roupas alegou que a modelo em questão tinha 20 anos e que o maiô era mostrado de diversos ângulos diferentes. Mas não adiantou.

American Apparel teve mais um anúncio banido. Desta vez, a rede varejista publicou em seu site um clique de uma modelo exibindo um maiô fio dental com estampa de boca. A Advertising Standards Authority (ASA), órgão que regula o setor, ordenou que a publicidade fosse retirada do ar após receber uma denúncia de que a campanha era “irresponsável e ofensiva”, pois mostrava uma imagem sexualizada de uma modelo que parecia ter menos de 16 anos.


A cadeia de roupas alegou que a modelo em questão tinha 20 anos e que o maiô era mostrado de diversos ângulos diferentes. Mas não adiantou. Segundo o jornal “The Guardian”, a ASA manteve sua posição. “Nós consideramos que a modelo tinha uma aparência jovem e que alguns consumidores poderiam considerá-la com menos de 16. A modelo olhava para a câmera com suas nádegas visíveis. Em conjunto com a aparência jovem da modelo, o anúncio poderia ser interpretado como a sexualização da criança. Concluímos que o anúncio foi irresponsável”.

Ainda de acordo com o jornal britânico, a ASA avisou a American Apparel para não voltar a repetir a ação. “Nós dissemos a marca para garantir que os anúncios futuros não incluam imagens inapropriadamente sexualizada de mulheres jovens”.

Esta não foi a primeira vez que a American Apparel tem um de seus anúncios banidos. Em setembro, uma propaganda da marca foi banida por "sexualizar estudantes". Em 2012, outro anúncio suspenso por colocar uma adolescente vestindo apenas meias brancas. A marca é frequentemente acusada de ser sexista e de colocar a mulher em situações vulneráveis e vulgares em suas propagandas.

Fundada em 1989 pelo empresário canadense Dov Charney, a American Apparel tem sido alvo constante de crítica e debate. O próprio fundador foi processado por assédio sexual e, posteriormente, demitido da empresa. No entanto, em julho deste ano, ele voltou ao trabalho, mas no papel de consultor - pelo menos até que a investigação sobre as acusações contra ele sejam concluídas.

Fonte: O Globo