Arqueolólogos acham esqueleto de mãe que morreu protegendo o filho

A mãe teria protegido o filho de um grande terremoto

Image title


Arqueólogos descobriam ao estudar o sito Lajia, em Minhe Count, na China, os restos mortais de uma mãe que morreu abraçada ao seu filho tentando protegê-lo durante um terremoto.. O esqueleto foi encontrado durante escavação em grande escala, de mortes causadas por um terremoto devastador que aconteceu há cerca de 4 mil anos.

Os restos de esqueletos bem preservados, pertencentes a pessoas de cultura Qijia, da China (que existiu entre 2.200 – 1.600 a.C), mostram os ossos maiores da mãe ajoelhada, protegendo a criança pequena, que os arqueólogos dizem ser de um menino.

A cultura Qijia, descoberta pela primeira vez na década de 1920, era uma cultura da Idade do Bronze posterior, proveniente da região em torno do alto Rio Amarelo, que corta províncias do norte a noroeste da China, incluindo Gansu, Ningxia, Qinghai, e a Região Autônoma da Mongólia Interior.

O estudo de tal cultura tem sido fundamental para descobrir a origem e o desenvolvimento precoce da civilização chinesa. O pesquisador Park Pai disse: "A escavação pode nos dizer muito sobre as pessoas através do tempo, mas também, em um nível pessoal, esta é a história de uma morte trágica que aconteceu milhares de anos atrás".

Image title


Fonte: Jornalciência