Cientistas descobrem mistério por trás da existência de fantasmas

Cientistas descobrem mistério por trás da existência de fantasmas

Para você que acredita em fantasmas ou assombrações

Para você que acredita em fantasmas ou assombrações, saiba que a ciência descobriu o que existe por trás disso tudo.

De acordo com o Vic Tandy, engenheiro britânico, os fantasmas que vemos, pode ser o resultado de ondas sonoras que vibram um pouco abaixo da nossa capacidade auditiva e que são apelidadas pela Ciência como “frequência do medo”. A frequência aparece em torno de 18,9 Hertz (Hz) e está no limite de nossa capacidade auditiva, de 20 Hz (até 20 mil Hz).

Mas como isso tem a ver com fantasmas? Bom, vamos explicar para você. Tudo começou quando Tandy trabalhava em seu laboratório, tarde da noite, quando sentiu os pelos do pescoço se arrepiarem, como se estivesse com medo e achou ter visto ainda um vulto no canto do olho. Como sempre, o vulto sumiu quando ele olhou diretamente.

Para saber o que era realmente, o engenheiro começo a trabalhar no assunto e se dedicou a encontrar uma explicação lógica para a situação que viveu e descobriu o que apelidou de ressonância simpática. De acordo com ele, todo objeto tem uma frequência ressonante natural que acaba sendo absorvida pela frequência natural de outros objetos a certa distância e respondendo com uma mesma vibração.

Ao aprofundar o estudo sobre o tema, o engenheiro, percebeu que, na verdade, o que tinha visto naquela noite fatídica era uma ilusão de ótica, resultante da frequência ressonante de seus olhos, que é de nada menos que 18,98 Hz, a frequência do medo. Tandy ainda descobriu que o sentimento de medo e ansiedade estavam ligados a essas ondas sonoras que não percebemos conscientemente.

Os cientistas ainda não souberam explicar porque algumas pessoas são sensíveis a essas vibrações sonoras e outras não. No entanto, os calafrios e outros sintomas negativos estão comprovadamente ligados a ela. Já, com relação ao que as pessoas veem por aí e apelidam de assombrações, os pesquisadores atribuem isso mais à imaginação humana e ao poder da sugestão mental que a uma real manifestação visual do além.

Fonte: Segredos do Mundo