Conheça a picada de mosca que deixa as vítimas em sono profundo

Doença do sono acabou sendo negligenciada pelos pesquisadores

A mordida de uma mosca tsé-tsé é uma experiência extremamente desagradável. Não é como a de um mosquito, que pode inserir sua fina língua diretamente no sangue, muitas vezes sem o alvo perceber: a boca dela tem minúsculas serrilhas que rompem a pele para poder sugar o sangue.


Para piorar a situação, várias espécies de mosca podem transmitir doenças. Uma das mais perigosas é causada por um parasita: a doença do sono ou Tripanossomíase Humana Africana (THA), para dar o nome oficial. Sem tratamento, ela é normalmente fatal.

Image title

Como tantas doenças tropicais, a doença do sono tem sido muitas vezes negligenciada pelos pesquisadores farmacêuticos. No entanto, investigadores têm se esforçado há tempos para compreender como ela engana os mecanismos de defesa do nosso corpo.

Algumas de suas descobertas podem agora ajudar a eliminar a enfermidade completamente. Há dois parasitas unicelulares que causam o sono mortal: Trypanosoma brucei rhodesiense T. b. Gambiana.

Este último é mais predominante: é responsável por até 95% dos casos, principalmente na África Ocidental. Ele leva vários anos para matar uma pessoa, enquanto o T. b. rhodesiense pode causar a morte em poucos meses. Existem ainda outras formas que infectam o gado.

Após a mordida inicial, os sintomas da doença do sono muitas vezes começam com febre, dores de cabeça e dores musculares. À medida que ela avança, os infectados ficam cada vez mais cansados – é de onde a doença recebe seu nome.

Alterações de personalidade, confusão mental grave e má coordenação também podem acontecer. Embora a medicação ajude, alguns tratamentos são tóxicos e podem ser letais, especialmente se ministrados depois que o mal alcançou o cérebro.


Fonte: iG