Criança que come amendoim quando pequena tem menos risco de alergia

Portanto, pais de crianças com provável alergia a amendoim não devem tentar a estratégia por conta própria.

 Durante anos, pais de crianças propensas a desenvolver alergia a amendoim fizeram de tudo para manter os filhos longe de alimentos que tenham esse ingrediente. Agora, um grande estudo sugere que eles deveriam fazer exatamente o contrário.

Expor essas crianças a amendoim antes de um ano de idade ajudou a prevenir a alergia de amendim, reduzindo em até 81% o risco, segundo os pesquisadores. Em vez de provocar alergia, a exposição precoce pareceu ajudar a desenvolver tolerância ao alimento.

O médico Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos afirmou que os resultados são "sem precedentes" e disse que eles "têm o potencial de transformar o modo como lidamos com a questão da prevenção de alergias alimentares".

Sua agência ajudou a financiar o estudo, o maior e mais rigoroso do tipo já realizado. Os resultados foram publicados nesta segunda-feira (23) na revista científica "New England Journal of Medicine".

Pais não devem tentar por conta própria
Mas, um aviso: os bebês que participaram do estudo foram testados para verificar se eles já não tinham uma alergia prévia a amendoim antes de consumirem o alimento. Portanto, pais de crianças com provável alergia a amendoim não devem tentar a estratégia por conta própria.

"Antes de começar qualquer tipo de introdução (ao amendoim), as crianças precisam fazer um teste na pele" para prevenir reações possivelmente fatais, segundo a médica Rebecca Gruchalla, especialista em alergia da Universidade do Texas.

A principal descoberta - de que a exposição precoce a um alimento pode evitar que a alergia a ele se torne um problema em longo prazo - deve mudar as diretrizes sobre alimentação, prevê a especialista.

Alergia a amendoim cresce
Nos Estados Unidos, a alergia a amendoim dobrou na última década e afeta mais de 2% das crianças do país. O amendoim é a principal causa de reações severas e mortes por alergia a alimentos. Diferentemente de outras alergias, esta não some ao longo do tempo.  As alergias a alimentos frequentemente são herdadas dos pais, mas pesquisas sugerem que elas podem se desenvolver depois do nascimento e que a idade de exposição podem afetar o aparecimento.

O estudo envolveu mais de 600 crianças com idades entre 4 e 11 meses na Inglaterra. Todas tinham risco de serem alérgicas a amendoim porque também eram alérgicas a ovo ou tinham eczema, condição na pele que pode ser um sintoma de alergia.

Todas fizeram testes na pele para saber se já não tinham uma alergia prévia a amendoim. Parte das crianças passou a consumir uma determinada quantidade de amendoim toda semana e parte foi orientada a evitar o alimento.

O resultado foi que, aos 5 anos de idade, entre as que consumiram quantidades semanais de amendoim, o risco de desenvolver alergia a amendoim posteriormente foi até 81% menor em comparação às crianças que evitaram o consumo.

A médica Rebecca Gruchalla afirma que, no caso de crianças que podem ter alergia a amendoim (como aquelas cujos pais têm a alergia) devem fazer um teste de alergia na pele entre 4 e 8 meses de idade. Se não apresentarem sinais de alergia, seus pais devem incluir em sua dieta produtos a base de amendoim.

Fonte: G1