Curiosidades sobre a série Narcos

Confira algumas curiosidades sobre a série Narcos

A Netflix é um canal de entretenimento moderno que segue as novas tendências da tecnologia, ou seja, é um tipo de canal para televisores smarts, aquelas que possuem conexão com a internet, algo tão comum nos dias de hoje. Mas, a Netflix não tinha planos apenas de ser um dos melhores canais de filmes e séries utilizando a internet, mas também, uma das mais bem sucedidas produtoras de entretenimento.

Prova disso é a série que abordaremos neste artigo, Narcos, que tem tido ótimas críticas no meio dos fãs que curtem uma boa série. Um dos pontos fortes é a presença de Wagner Moura, o eterno Capitão Nascimento, imortalizado no Tropa de Elite. Mas a série produzida pela Netflix, Narcos, não tem apenas esse ponto em destaque, mas também outros que abordaremos no decorrer do texto.

1 – Apesar de ter Wagner Moura no elenco, Narcos é uma série americana, mesmo tendo os primeiros episódios com produção executiva e a direção de José Padilha. A linguagem utilizada é o inglês, mas o espanhol também surge em determinados momentos. Os criadores da série, Chris Brancato que é roteirista de Hannibal e Adam Fierro, criador do sucesso The Walking Dead.

2 – Wagner Moura, o para sempre Capitão Nascimento e agora, o famoso Pablo Escobar, parece mas não é o protagonista da série. Isso acontece que a história do narcotráfico não é contada pelos seus operários mais famosos mas sim, por uma divisão policial americana que combate esse tipo de crime, o DEA (Drug Enforcement Administration), uma espécie de BOPE dos EUA.

3 – A produção é de 2015, mas a história se passa nos 1970-80 e por isso, as críticas ao sistema americano recheiam a série de uma maneira deliciosa, isto acontece pelo fato dos americanos não verem a América Latina com bons olhos e ainda apoiar alguns períodos negros da história, como a ditadura brasileira. Você sabia que os Estados Unidos apoiavam a ditadura? Pois é, só deixaram de apoiar quando as coisas começaram a mexer com seus bolsos.

4 – André Mattos, faz parte do elenco, mas sua participação é bem pequena, pequena mesmo, apesar de viver uma personagem de extrema importância, acaba quase passando despercebido.

5 – Dois episódios se destacam, o sétimo e oitavo, é o mais curioso é que, o responsável pela direção não é ninguém menos que Fernando Coimbra, do maravilhoso O Lobo Atrás da Porta.

6 – Os brasileiros não apreciam muito seu produto nacional, por sorte isso acontece mais no Brasil mesmo, lá fora, nossos artistas são bem visto e muito bem contados. Prova disso é a música tema da série, composta por Rodrigo Amarante, outro brasileiro e ex-Los Hermanos, famosos pela canção Ana Júlia.

7 – Destaques a parte. Outro ponto que valoriza muito a produção da Netflix é a presença de Stephanie Sigman que, já fez grandes trabalhos em sua cidade natal e que em breve, viverá um dos papéis femininos mais desejados por uma parte das atrizes: ser a bondgirl.

8 – Ainda falando sobre Stephanie, ela vive a jornalista Valeria Velez, que nunca existiu na história verdadeira do cartel de Pablo, mas que foi baseado em uma jornalista que realmente existiu e que ainda foi amante de Pablo Escobar. Essa jornalista chegou a escrever até mesmo uma biografia com sua relação com o traficante.

9 – Essa é cruel. A personagem que vive o braço direito de Escobar, viveu na pele o drama do narcotráfico da época, tanto é que teve um dia morto em um atentado provocado pelo Pablo. Escobar não media esforços e pouco se preocupava com quem pegava carona em seus atentados, prova disso são as 110 vítimas em um dos seus ataques a aviões.

10 – E ainda é possível ter uma continuação. Será? Nos resta esperar.


Image title

Fonte: sitedecuriosidades