Doença rara causa dores e faz mulher vomitar até 20 vezes por dia

doença deixa os pacientes com maus súbitos e enxaquecas graves.

Stephanie Horner tem apenas 23 anos e passa semanas de cama, atormentada por uma doença rara. Em seus piores momentos, ela vomita a cada 20 minutos durante dias a fio.

A doença começou quando ela tinha apenas 13 anos, mas os médicos ficaram perplexos ao saber o diagnóstico, após numerosas visitas ao hospital. Foi só quando ela pesquisou seus sintomas na internet que Horner foi encaminhada a um especialista que a diagnosticou com a Síndrome de Vômitos Cíclicos (CVS). A condição induz graves episódios de vômitos que podem durar de três dias até quatro semanas.

A jovem é internada pelo menos uma vez por mês, o que significa que ela se esforça para manter um emprego e foi forçada a abandonar a universidade, em 2011. A síndrome de vômitos cíclicos afeta uma em cada 300 mil crianças, mas apenas um quinto dos doentes experimentam a condição quando adulto. A doença deixa os pacientes com maus súbitos, enxaquecas graves, dores abdominais e náuseas. Atualmente, não se sabe seus efeitos e tratamento.

Horner, que mora na Inglaterra, disse: "Eu posso ficar doente a cada 20 minutos quando a condição está no auge, vomitando e tentando não chorar. É muito desgastante. Quando eu tenho episódios ruins tudo o que posso fazer é ir ao hospital e me manter forte até passar", disse Stephanie. A condição determina a vida dela, obrigando-a a planejar sua rotina em torno da doença. O medo de vomitar é constante e a deixa no hospital por semanas para que não deixem ela sofrer desidratação, que poderia levá-la à morte.

Em 2011, ela começou a sentir dores de estômago graves, algumas vezes vomitando sangue. Apesar de numerosas visitas ao hospital, os médicos não descobriam o motivo e ela foi obrigada a pesquisar sozinha na Internet uma possível causa dos sintomas.

A doença não é amplamente reconhecida e não existe subsídio de auxílio-doença do Sistema Nacional de Saúde. Stephanie, que é uma ex-estudante de sociologia na Universidade de Sunderland, disse que espera terminar os seus estudos no futuro e depois ajudar os outros a entender sua condição.


Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Jornal Ciencia