Especialistas afirmam que é possivel mulher está grávida sem saber

Muitas mulheres têm um ciclo menstrual irregular

As mulheres podem ter falsos negativos em testes de gravidez por uma série de razões: fazem o teste muito cedo, não seguem as instruções direito ou usam urina diluída. É possível que elas tenham corrimentos, que podem ocorrer durante a gravidez, e que elas os confundam como sendo a menstruação. Muitas mulheres têm um ciclo menstrual irregular ou simplesmente não menstruam.

"Há muitas condições clínicas ou medicamentos que podem impedir as mulheres de menstruarem", afirmou um especialista. Quando essas mulheres não menstruam durante meses, elas não assumem necessariamente que exista algo errado.

Fisicamente, algumas mulheres simplesmente não mudam muito na gravidez e, embora mulheres com mais peso talvez tenham mais predisposição a isso, Sharp acrescentou que ela mesma ficou surpresa com pacientes magras que mal pareciam estar grávidas, mesmo estando em um estágio mais avançado de gravidez.

Dra. Ruta Nonacs, psiquiatra do programa de pesquisa clínica psiquiátrica perinatal e reprodutiva, contou que algumas mulheres podem não perceber a gravidez devido a outras questões mais sérias de saúde mental. Por exemplo, uma mulher pode ter uma desordem psicótica que impede que ela interprete corretamente os sintomas, ou pode ter uma dissociação extrema do seu corpo decorrente de algum tipo de trauma sexual.

Mas há também muitas mulheres que são absolutamente "normais" psicologicamente, afirmou Nonacs. "Elas são provavelmente apenas pessoas que tiveram ciclos irregulares, então não tinham consciência de seus sinais e sintomas, ou [mulheres] que não pensavam que poderiam engravidar", ela disse.

"A [gravidez] é algo com forte carga emocional, e questões desse tipo são mais propensas a serem minimizadas ou acentuadas", ela acrescentou. "Definitivamente vemos pacientes que chegam com um tumor enorme, canceroso, que de tão avançado nos faz pensar: 'por que você não veio dois anos antes?!'" Mas algumas vezes as pessoas simplesmente "não conseguem ver claramente" quando se trata de assuntos complicados como a morte e a gravidez, ela disse.

Quando percebeu que estava grávida, Coakley Beckner se encheu de preocupação com a saúde do bebê. Ela estava tomando bebidas alcóolicas e comendo alimentos normalmente proibidos para grávidas, mas sua ginecologista e obstetra garantiu que tudo provavelmente ficaria bem e seu filho, agora com 3 anos, é extremamente saudável e inteligente.

Essas mulheres não são "loucas".

Em uma terça-feira do mês de julho, há dois anos, Michelle Mulvehill visitava uma amiga, que mencionou que ela parecia cansada. Mulvehill concordou que ultimamente não estava se sentindo bem, mas achou que fosse por causa da recente mudança no tempo e riu quando sua amiga pensou que ela pudesse estar grávida. Mulvehill, então com 35 anos, tinha a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) e não menstruava havia dois anos. Ela também tinha recebido o diagnóstico de que era estéril.

Quando era mais nova, Mulvehill passou seis anos tentando engravidar do seu agora ex-marido. Mas Mulvehill não conseguiu esquecer o comentário da amiga e no dia seguinte fez um teste de gravidez. Ela ficou chocada quando viu o resultado positivo. Ela então fez o teste novamente. Outra vez deu positivo. Mulvehill foi ao médico e ele confirmou que — contra todas as expectativas — ela realmente teria um bebê, embora não pudesse dizer com quantas semanas ela estava.

Então, na segunda-feira seguinte, tarde da noite, ela começou a ter dores no estômago. A princípio ela achou que fossem apenas gases, mas como as dores continuaram durante a noite, pensou que fosse um aborto. Na manhã seguinte ela foi dirigindo até o hospital, onde a equipe médica chegou a um diagnóstico totalmente diferente: eram contrações. Mulvehill estava em trabalho de parto e já estava com dois centímetros de dilatação.

Às 20h45 da terça-feira, 16 de julho de 2013, Mulvehill deu à luz, por cesariana, uma menina, apenas seis dias depois de descobrir que estava grávida. Sua filha Lily pesava 1,760 kg. Seus médicos concluíram que Mulvehill esteve grávida por 32 semanas sem saber.


Image title

Image title

Fonte: Com informações do Brasil Post