Estudante quase morre ao sentir dores e tira verme vivo do cérebro

Ele teve fortes dores de cabeça durante uma visita à família

Um norte-americano de 26 anos passou por uma experiência que poucos – felizmente - terão na vida. Depois de chegar ao hospital com fortes dores de cabeça, o californiano Luis Ortiz foi urgentemente submetido a uma cirurgia que retirou um verme ainda vivo e se movendo do seu cérebro.

Image title


De acordo com informações da rede CBS de São Francisco (Califórnia), o estudante Luis Ortiz teve fortes dores de cabeça durante uma visita à família, na cidade de Napa, também no estado da Califórnia, em agosto deste ano.

Depois de ser levado às pressas para o hospital, exames feitos no cérebro do californiano mostraram que havia uma larva do tipo tênia alojada dentro do órgão. Os médicos fizeram, então, um procedimento de emergência para retirar o verme e descobriram que ele havia bloqueado a circulação sanguínea para o cérebro de Luis. Mais tarde, os médicos informaram o estudante que, naquele momento, ele só teria mais 30 minutos de vida se não fosse operado.

“Os médicos tiraram o verme e disseram que ele ainda estava se mexendo e eu disse 'Ugh, isso não parece bom'”, disse à CBS. Os responsáveis pelo caso explicaram como a tênia poderia ter entrado no corpo dele: “Eles me disseram que pode ter sido pelo consumo de carne de porco mal cozida, por ter nadado no rio ou por ter visitado um país de terceiro mundo. Eu não fiz nada disso recentemente, mas não sei há quanto tempo aquela larva estava no meu corpo”.

Como isso acontece

Casos como o de Luis Ortiz acontecem após o consumo de alimentos contaminados com os ovos de tênia solium. Esses ovos chegam ao estômago, atravessam a mucosa gástrica e passam para a corrente sanguínea, meio que usam para alcançar diferentes partes do corpo. Nas situações em que eles se alojam no cérebro e se tornam larvas nesse local, ocorre a neurocisticercose, forma rara e mais grave da infecção. Nesse caso, podem ocorrer sintomas como dor de cabeça, convulsões, distúrbio de comportamento ehipertensão intracraniana.

Como evitar

A transmissão acontece através do consumo de alimentos ou água contaminados pelos ovos de tênia provenientes das fezes de outras pessoas. É por isso que a doença é mais comum em locais sem saneamento básico adequado, onde os dejetos acabam sendo eliminados próximos a locais onde as pessoas residem e podem contaminar a água que elas bebem. A contaminação também pode ocorrer quando alguém com teníase, uma outra doença causada pela tênia, prepara alimentos sem os cuidados de higiene necessário.

Por isso, é importante sempre ter o máximo cuidado de higiene durante o preparo da comida, certificando-se de lavar bem as mãos antes de cozinhar e higienizando bem os alimentos, além comer apenas em locais confiáveis. Também é importante evitar nadar em rios e lagos e consumir água sem o tratamento adequado.


Fonte: Com informações do Bolsa de Mulher