Estudo aponta que sexo pode ser causa de dor de cabeça

Já as cefaleias orgásticas podem acontecer devido à contração dos vasos sanguíneos da cabeça, durante e logo após o orgasmo.

Alguns tipos de dor de cabeça só acontecem durante o ato sexual. São dores de cabeça raras, mas que não devem ser negligenciadas, pois podem sinalizar alguma doença grave como um sangramento cerebral. As cefaleias ligadas ao ato sexual são chamadas de cefaleias pré-orgásticas e orgásticas. A cefaleia pré-orgástica ocorre durante a relação sexual, com sua intensidade aumentando conforme a excitação sexual aumenta. Costuma ocorrer na cabeça toda e região cervical. A cefaleia orgástica ocorre de maneira súbita no exato momento do orgasmo, como uma dor explosiva e de forte intensidade.


Não se sabe ainda porque essas cefaleias ocorrem, mas a cefaleia pré-orgástica parece estar ligada a uma excessiva contração muscular na região da cabeça e pescoço durante o ato sexual. Já as cefaleias orgásticas podem acontecer devido à contração dos vasos sanguíneos da cabeça, durante e logo após o orgasmo.

Essas cefaleias acometem mais os homens que as mulheres, sendo mais comum entre os 20 e 40 anos. Tendem a ter curta duração, mas podem durar ate 24 horas e requerer tratamento medicamentoso. É mais comum em pessoas que tenham enxaqueca e cefaleia do tipo tensional, indivíduos com obesidade e/ou muito estressados.

As dores de cabeça não necessariamente ocorrem em todas as relações sexuais. A frequência pode variar de individuo para individuo, sendo que alguns podem apresentar essas cefaleias esporadicamente, mas outros podem apresentar em todas as relações sexuais.

Todo homem ou mulher que apresentar pela primeira vez uma cefaleia aguda e de forte intensidade no ato sexual deve procurar um atendimento medico de urgência. Exames precisam ser realizados para exclusão de quadros graves como rompimento de aneurismas e sangramentos cerebrais - e esses exames devem ser realizados o mais rápido possível. Se os resultados se mostrarem normais, um neurologista deve acompanhar esse quadro.

Dependendo da duração, e principalmente da frequência da cefaleia, podem ser indicados medicamentos no momento da crise e medicamentos para prevenir que as crises aconteçam.

Fonte: MSN