Festival em homenagem a fertilidade tem pênis gigante no Japão

Festival Kanamara Matsuri é tradição no país

As ruas de Kawasaki se converteram neste domingo (3) em uma homenagem à fertilidade com um desfile de estátuas gigantes representando o pênis, uma das celebrações mais peculiares do mundo.

Durante este festival que se celebra todos os anos, os japoneses deixam de lado por um dia seu pudor e desfilam junto a três grandes figuras de pênis, um delas maior do que o tamanho de um homem adulto.

Milhares de pessoas participam do Kanamara Matsuri ("Festival do Pênis de Metal"), onde é possível encontrar todo tipo de objeto fálico, de chaveiros a bombons, até itens mais singulares, como um óculos com pênis no lugar do nariz.

Fora seu caráter folclórico, o Festival do Pênis em Kawasaki, uma localidade residencial perto de Tóquio, tem uma função pedagógica, explica Hiroyuki Nakamura, sacerdote do santuário shintoísta local.

"Se as crianças se acostumarem a ver seus órgãos genitais, não ficarão com medo na hora que virem o seu", afirma.

"As pessoas vem rezar pela boa fortuna e pedir aos deuses que os protejam. O festival tem um elemento arraigado no passado, mas continua tendo um papel importante na sociedade moderna", assegura.

Conta a lenda que durante a era de Edo (1603-1868), um demônio com dentes afiados que vivia na vagina de uma mulher castrou vários homens durante sua noite de casamento. Um ferreiro criou então uma espécie de consolo de metal para quebrar os dentes do demônio.

Hoje um falo de aço de um metro de altura enfeita o pátio do santuário de Kanayama em homenagem às divindades shintoístas da fertilidade, da concepção e da proteção das doenças de transmissão sexual.

Os fundos arrecadados com as vendas de produtos fálicos serão destinados à pesquisa sobre a aids.


Festival Kanamara Matsuri (Crédito: Toru Yamanaka)
Festival Kanamara Matsuri (Crédito: Toru Yamanaka)


Japonesas se divertem com doce em forma de pênis (Crédito: Toru Yamanaka)
Japonesas se divertem com doce em forma de pênis (Crédito: Toru Yamanaka)
Fonte: Folha Uol