Homem pinta as unhas em apoio ao filho de 4 anos: 'As cores são para todos'

Uma repercussão "maravilhosa", para Thiago.

No lar de Arthur, brincar não é proibido.Não existem brinquedos só para meninos ou só para meninas.Nem comportamentos esperados apenas deles ou delas.

Arthur tem liberdade para criar, divertir-se e descobrir as possibilidades deste mundo em que ingressou há quatro anos.

Um mundo que, sim, é cheio de preconceitos, estereótipos de gênero, de certo ou errado.

Mas que tem também pessoas desinteressadas no senso comum envelhecido. E mais interessadas no respeito à individualidade e às diferenças de cada um.

Pessoas como os pais de Arthur — o estudante de direito e recepcionista Thiago Moreira e a doula e educadora perinatal Laura Muller Sagrilo, ambos de 27 anos.

A história da família, que mora na histórica Ouro Preto (MG), ganhou as redes depois que Thiago postou no Facebook uma foto com as unhas dele pintadas de azul. Foi uma demonstração de apoio ao filho, que gosta de usar esmalte, mas ficou abalado após ser chamado de "menininha" na escola.

Quando Arthur se preparava para remover as cores, Thiago se apressou e pintou as próprias unhas. E sempre vai assim levá-lo e pegá-lo no colégio.

Em entrevista ao Brasil Post, o universitário explicou a naturalidade com que ele e seu filho acrescentam cor à vida:

"As unhas de nós dois continuam pintadas. Estamos precisando retocar inclusive (risos)... Eu procuro manter as minhas unhas pintadas enquanto ele também mantém as dele. As cores mudam constantemente... O Arthur lida bem com a questão das cores, sabe que as cores são para todos e, com isso, todo dia ele nos diz que tem uma cor nova... Um dia é azul, no outro é preto, no outro rosa e por aí vai... E sempre que ele diz da cor nova, também diz: 'essa é minha cor favorita'."

Ah, mas se aquela cor causar mais bullying na escola? Se houver ofensas a Arthur?

Thiago e Laura ensinam que a primeira arma contra o sofrimento causado pela discriminação é o esclarecimento, a informação e a comunicação com o filho:

"Os coleguinhas ou pais nunca reclamaram e também não fomos chamados para reuniões que tratassem desse assunto [unhas pintadas] em específico... Já teve outro caso de dizerem que ele parecia uma menina devido ao cabelo grande. Quando isso ocorreu, a mãe dele buscou de imediato fotos de homens de cabelos compridos e mostrou para ele. Isso o tranquilizou bastante. Em ambas situações, sempre procuramos agir de imediato para lidar com tal situação."

A cada novo compartilhamento da história, Thiago e Laura passaram a receber mais desabafos por inbox no Facebook. A maioria, de adolescentes, se queixando de não ter abertura de diálogo com sua família.

Muitos pediam orientações, algum apoio.

Uma repercussão "maravilhosa", para Thiago.

"Ainda não sei lidar com [mensagens de] parabéns, porque vemos isso como o mínimo a fazer ao criar um filho", completa Laura para nossa reportagem.

Arthur nem está entendendo por que andam falando tanto dos pais dele.

O pequeno passou o fim de semana jogando bola, assistindo a desenhos animados, brincando de cabaninhas.

E com unhas pintadas.

Uma criança, como qualquer outra. Amada e compreendida pelos pais.



Fonte: Brasil Post