Jovem diz que foi forçada pela mãe e padrasto a transar com 1.800 homens em culto satânico

Colin Batley, seu padrasto, e Jacqueline Marling, sua mãe, foram presos por abusar intimamente da menina diversas vezes enquanto ela estava crescendo

Uma mulher, chamada Annabelle Forest, foi forçada a participar diversas vezes de um culto chocante, e, depois, assistir sua mãe realizando ato íntimo com um líder do grupo, entre outros vários fatos bizarros. Aos 11 anos de idade, ela chegou a ser estuprada duas vezes por um homem, e três anos mais tarde participou de uma relação íntima grupal com sua mãe, perto de sua casa em Swansea, no País de Gales, onde, pelo menos duas outras casas da rua participaram da atividade do culto.

Colin Batley, seu padrasto, e Jacqueline Marling, sua mãe, foram presos por abusar intimamente da menina diversas vezes enquanto ela estava crescendo. Annabelle Forest sofreu diversos abusos na infância e foi forçada por sua mãe a dormir com 1.800 homens durante culto satânico até completar 18 anos.

Após a condenação dos envolvidos, Annabelle se pronunciou contra Colin e sua mãe, que foram condenados a 12 anos de prisão. Em seu livro de memórias, recém-lançado, Annabelle revela que tinha dormido com quase 2.000 homens até seu aniversário de 18 anos, depois de ter sido forçada a se prostituir para arrecadar dinheiro para o culto da “igreja”.

“Eu tinha 11 anos quando Colin me estuprou. O pior de tudo foi o fato de que ele me fez pensar que eu estava fazendo isso por escolha”, disse ela. Depois de ter sido violentada intimamente por sua própria mãe, aos 14 anos, a adolescente tentou se matar. Annabelle ficou grávida de seu cruel padrasto aos 17 anos. Um ano após o nascimento da criança, ela fugiu de casa na calada da noite, e não quis ver a mãe ou Colin até a condenação, em 2011. Annabelle, que agora vive no norte da Inglaterra, narra sua infância horrível em um livro de memórias chamado, “O Diabo na porta: Minha fuga de um satânico culto sexual”.


Fonte: Daily Mail