Jovem não mostra vestígios de HIV após ficar 12 anos sem medicação

Cientista que apresentou o caso diz houve remissão do HIV.

O caso de uma adolescente que foi diagnosticada com Aids e passou 12 anos sem tomar medicação chamou a atenção dos médicos do Instituto Pasteur, da França. A jovem, que hoje tem 18 anos, parou de tomar medicação aos  6 anos de idade. O caso foi mostrado nesta terça-feira (21) a reunião anual da Sociedade Internacional da Aids. 

Image title

O cientista Asier Sáez Cirión, que mostrou o caso durante a reunião, disse que é possível, sim, a remissão do HIV.

"É possível conseguir a remissão do HIV a longo prazo em uma criança infectada durante o período pré-natal após interromper o tratamento antirretroviral que começou nos primeiros meses de vida".

No entanto, Jean François Delfraissy, que é diretor da Agência Nacional de Pesquisa da Aids da França (ANRS, sigla em francês), explica que a jovem não está livre da doença.

"Essa remissão não pode ser comparada a uma cura. A jovem segue infectada com o HIV e é impossível prever como sua saúde mudará com o tempo. Mas seu caso constitui um sólido argumento adicional a favor de iniciar o tratamento antirretroviral o mais rápido possível após o nascimento de bebês de mães soropositivas", disse.

Asier Sáez acrescenta que ela passou muito tempo sem tomar medicamento e pode se tratar de uma remissão virológica.

"O mais provável é que tenha ficado em remissão virológica durante muito tempo porque recebeu uma combinação de antirretrovirais pouco depois da infecção", afirma.

Para ele, a remissão pode ocorrer para pessoas de todas as idades. "No entanto, esses casos ainda são muito raros. Um caso similar com uma criança infectada com HIV tratada a tempo foi noticiado nos Estados Unidos (o chamado "bebê Mississipi"), mas a remissão só durou 27 meses depois que o tratamento antirretroviral deixou de ser aplicado", relatou.





Fonte: Com informações da Exame