Jovem perde visão aos 17 anos e ajuda cegos a encontrar o amor

Ela tem uma condição congênita rara e sem cura.

Lucy Edwards se lembra muito bem do dia em que disse chorando à sua mãe que nunca encontraria alguém que a amasse. Ela tinha apenas 11 anos, e era cega de um dos olhos — o outro também seguia pelo mesmo caminho e em breve ela perderia completamente a visão, pelo que havia acabado de descobrir.

— Eu disse a ela que, se eu ficasse totalmente cega, ninguém se apaixonaria por mim. Minha mãe, então, me disse que eu estava sendo boba, e que era claro que alguém me amaria um dia. No entanto, quando eu fiz 14 anos, eu estava saindo com um garoto três anos mais velho que eu. Eu contei a ele sobre minha condição, e ele disse então que ia me deixar. Imagine o que isso causou em mim.

Dois anos depois deste episódio, Lucy conheceu Ollie Cave, um ano mais novo que ela. Foi amor à primeira vista. Os dois começaram a namorar, e Ollie sempre deixou muito claro que ele queria entender o mundo a partir do ponto de vista de sua amada.

Lucy ficou completamente cega quando os dois completaram dois meses de namoro. A causa de seu problema é a incontinência pigmentar, uma condição congênita rara e sem cura.

— Estava tudo acontecendo aos poucos, mas um dia eu disse ao Ollie que o rosto dele estava desaparecendo, e que eu não conseguia mais enxergá-lo. Ainda assim, ele foi maravilhoso comigo. Muito calmo e companheiro. Eu, no entanto, fiquei muito nervosa e disse que deveríamos nos separar. Eu não sabia se conseguiria lidar com tudo aquilo.

Ollie disse à garota que de jeito nenhum eles se separariam, e, desde então, se manteve ao lado da namorada o tempo todo. Lucy diz que pode parecer um clichê, mas que, no caso deles, o amor é, de fato, cego.

Isso tudo aconteceu há dois anos e meio, e, hoje em dia, o casal demonstra ainda mais união. Os dois inauguraram juntos um canal no Youtube chamado Yesterday’s Wishes, em que Lucy, uma talentosa maquiadora, posta tutoriais de maquiagem.

Atualmente, Lucy sonha em estudar Direito, enquanto Ollie se prepara para começar um curso de animação. O casal mora junto, e se dedica à produção dos vídeos do canal, que já tem mais de 19 mil seguidores e atraiu mais de um milhão de cliques.

Baseada no medo que sentiu aos 11 anos de idade, quando temia não encontrar o amor por causa de sua condição, Lucy apoia uma campanha da Royal London Society for Blind People, uma associação empenhada em ajudar deficientes visuais. A ideia de Lucy é ajudar jovens como ela a encontrar o amor.

A entidade recentemente uniu forças com um site de encontros, e promoveu um encontro em que jovens solteiros e deficientes visuais puderam ter aulas de dança com parceiros que podem enxergar, mas que, desta vez, passariam a noite de olhos vendados.

Lucy, que recentemente passou por uma cirurgia em que foram recuperados 5% da sua visão, dá um conselho aos jovens que passam pelo mesmo problema que ela: não se amedrontem.

— É difícil encontrar coragem para sair com alguém. Seria ótimo que os sites de encontros pudessem ajudar nisso, promovendo encontros para deficientes visuais, porque isso colabora com a autoconfiança. Ser cego significa precisar dizer às pessoas o que você quer ou precisa em todo tipo de situação social, mas em encontros é particularmente mais assustador. Há ainda o perigo de que alguns caras possam querer alguém que a possam controlar ou de quem possam tirar vantagem. Talvez eles achem que uma namorada cega seja mais dependente deles, o que se transforma em uma vulnerabilidade a mais.


Image title

Image title

Fonte: Com informações do R7